Governo compromete-se a ter bombeiros de intervenção permanente até 2020

O Ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita discursa durante a sessão de tomada de posse dos órgãos sociais da Liga dos Bombeiros Portugueses nas Caldas da Rainha

Ministro da Administração Interna diz que equipas de intervenção permanente estarão em todos os concelhos do continente dentro de dois anos

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, assumiu hoje dez compromissos com os bombeiros portugueses, entre os quais a criação, até 2020, de equipas de intervenção permanente em todos os concelhos do continente.

O Governo pretende ter "em inícios de 2020 equipas de intervenção permanente todos os municípios do continente", afirmou hoje Eduardo Cabrita, comprometendo-se a criar já este ano 40 equipas, a somar às 166 que já existem.

O compromisso foi um dos dez assumidos hoje pelo governante com a Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP], nas Caldas da Rainha, onde foi empossado o presidente reeleito, Jaime Marta Soares.

Num "novo tempo para a proteção civil e a segurança", o ministro assumiu a Liga como "parceiro estratégico no aprofundamento de uma reforma da proteção civil" comprometendo-se a ouvi-la "atempadamente" relativamente a todos os documentos estratégicos.

A LBP vai ser ouvida sobre a nova "figura diretiva operacional única de prevenção e de combate" que está a ser preparada "até ao final de março", afirmou durante a cerimónia.

Mas, questionado pelos jornalistas, não se comprometeu com a criação de um comando nacional autónomo para os bombeiros [uma das reivindicações da LBP], remetendo também para março essa decisão.

"A estrutura da Proteção Civil exige uma estrutura clara de comando em que os bombeiros serão inseridos e serão uma componente essencial", afirmou Eduardo Cabrita, recusando, no entanto, "antecipar um debate que será feito até março".

O compromisso do ministro é de que a Liga participará nas "estruturas consultivas" dos órgãos de proteção civil e que passarão a contar com um oficial de ligação à estrutura da proteção civil.

A LBP será ainda ouvida na definição das prioridades na área de risco para o próximo quadro comunitário Portugal 2030 e "acompanhará a definição, em Bruxelas, do quadro de mecanismo europeu de resposta a grandes incêndios florestais, inundações, epidemias ou acidentes químico-industriais", acrescentou Eduardo Cabrita.

O governante comprometeu-se ainda a reformar a escola nacional de bombeiros e a definir até ao final do semestre as condições do cartão nacional de bombeiro.

Compromissos que Jaime Marta Soares considerou um sinal de "diálogo franco e aberto na procura de soluções" para responder às propostas apresentadas pela Liga, esperando que possa estar a abrir-se "um novo caminho que possa vir a dar os seus frutos", declarou aos jornalistas.

Relacionadas

Últimas notícias

Brand Story

Tui

Mais popular

  • no dn.pt
  • Portugal
Pub
Pub