Governo admite nova pista para reforçar aeroporto de Lisboa

É "o cenário que está a ser estudado com mais intensidade", admite o ministro

O ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, afirmou hoje que a utilização de uma pista complementar é "o cenário que está a ser estudado com mais intensidade", para reforçar a capacidade aeroportuária em Lisboa.

"É o cenário que está a ser estudado com mais intensidade, a utilização de mais uma pista para complementar a atividade do atual aeroporto Humberto Delgado", referiu Pedro Marques em Braga, à margem de uma conferência promovida pelo Novo Banco.

Segundo o governante, a partir de 2017 deverá estar "consolidada" a decisão sobre o reforço da capacidade aeroportuária de Lisboa, "nomeadamente com a possibilidade de utilização de mais alguma pista complementar à atual infra-estrutura".

"É o tipo de decisões que vamos ter de tomar e que estamos a preparar-nos para decidir se é exatamente assim que deve ser feito e onde é que deve ser feito", acrescentou.

Pedro Marques disse que as infraestruturas aeroportuárias nacionais são "adequadas e seguras", mas reconheceu que se estão a "atingir rapidamente constrangimentos à possibilidade de crescimento futuro".

Por isso, afirmou, o Governo está a preparar-se para tomar um conjunto de decisões para reforçar essa capacidade aeroportuária, também com alterações tecnológicas no controlo do tráfego aéreo, para que o desenvolvimento do turismo e das viagens de negócios "não encontre constrangimentos".

Ler mais

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.

Premium

Diário de Notícias

A ditadura em Espanha

A manchete deste dia 19 de setembro de 1923 fazia-se de notícias do país vizinho: a ditadura em Espanha. "Primo de Rivera propõe-se governar três meses", noticiava o DN, acrescentando que, "findo esse prazo, verá se a opinião pública o anima a organizar ministério constitucional". Explicava este jornal então que "o partido conservador condena o movimento e protesta contra as acusações que lhe são feitas pelo ditador".