Mais acidentes e feridos graves na Operação "Ano Novo"

Foram registadas, no entanto, menos vítimas mortais do que no ano passado

A Guarda Nacional Republicana (GNR) registou nos cinco dias da Operação "Ano Novo" mais acidentes e mais feridos graves, mas menos vítimas mortais do que na operação de 2016/2017, segundo dados da corporação.

De acordo com os últimos dados disponíveis no 'site' da GNR, atualizados às 24:00 de terça-feira, foram registados na Operação "Ano Novo" deste ano, que durou mais um dia do que a do ano passado, 588 acidentes, três vítimas mortais e 10 feridos graves.

A GNR registou ainda um total de 339 feridos ligeiros.

A Guarda Nacional Republicana intensificou desde sexta-feira (dia 29) e até às 24 horas de terça-feira o patrulhamento rodoviário nas vias de maior tráfego no âmbito da operação "Ano Novo".

De acordo com a GNR, o reforço do patrulhamento nas estradas teve como objetivo "prevenir a sinistralidade rodoviária, garantir a fluidez do tráfego e apoiar todos os utentes das vias, no sentido de lhes proporcionar uma deslocação em segurança".

Ler mais

Exclusivos