GNR apoia no local quem perdeu carro no fogo do Andanças

Incêndio terá começado num carro e alastrou a outros 421. No local estão duas equipas de psicólogos

Um incêndio ao início da tarde, que terá tido origem num carro estacionado no parque do festival Andanças, em Castelo de Vide (Portalegre), levou à destruição de 422 carros e outros nove ficaram parcialmente danificados. A GNR abriu um posto no local e está a fazer o levantamento das viaturas estragadas. No local estão ainda duas equipas de psicólogos para prestar apoio a quem preciso. Organização pediu para o festival continuar.

"O recinto do festival está aberto e as pessoas estão a deslocar-se para as suas tendas e lojas. Neste momento as pessoas estão a perceber se os seus carros foram atingidos ou não pelo incêndio. A GNR tem um posto no local e está a fazer o levantamento, junto dos proprietários, das viaturas que foram destruídas ou danificadas", disse ao DN Sílvia Felix, Segundo Comandante Operacional Distrital de Operações de Socorro de Portalegre.

Segundo a responsável, "estão no local duas equipas de psicólogos, uma do INEM e outra dos corpos de bombeiros de Portalegre e Marvão". A zona do parque onde arderam os carros está fechada às 22.00 e no local estão elementos da PJ, das seguradoras e da organização para fazer o levantamento dos danos. "A Câmara alargou o parque de estacionamento para outra área que já estava prevista para o caso de maior procura do festival e reforçou a segurança e os voluntários", acrescentou Sílvia Felix.

O fogo deflagrou ao início da tarde, perto das 15.00, e terá tido origem num carro, alastrando depois a outras viaturas e a uma zona de mato. As pessoas que participavam no festival, cerca de 4000, foram deslocadas para a zona sul da barragem de Póvoa e Meadas, no sentido oposto do local do festival, seguindo o plano de emergência da organização. "As pessoas saíram de forma ordeira e receberam muito bem os meios no local. Ao final de uma hora e 20 o incêndio estava dominado", salientou Sílvia Felix. No local estiveram mais de 200 operacionais, apoiados por cinco meios aéreos e mais de 60 veículos.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

"Likai-vos" uns aos outros

Quem nunca assistiu, num restaurante, por exemplo, a esta cena de estátuas: o pai a dedar num smartphone, a mãe a dedar noutro smartphone e cada um dos filhos pequenos a fazer o mesmo, eventualmente até a mandar mensagens uns aos outros? É nisto que estamos... Por isso, fiquei muito contente quando, há dias, num jantar em casa de um casal amigo, reparei que, à mesa, está proibido o dedar, porque aí não há telemóvel; às refeições, os miúdos adolescentes falam e contam histórias e estórias, e desabafam, e os pais riem-se com eles, e vão dizendo o que pode ser sumamente útil para a vida de todos... Se há visitas de outros miúdos, são avisados... de que ali os telemóveis ficam à distância...