Fuga de 10 mil milhões para paraísos fiscais "merece ser investigada"

Presidente da República admite que caso pode ser preocupante

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, considerou hoje que a transferência de 10 mil milhões de euros para paraísos fiscais sem tratamento da autoridade tributária é "uma situação que merece ser investigada".

"Naturalmente que esta situação merece ser investigada porque, a confirmar-se, pode ser de alguma maneira preocupante", disse Marcelo Rebelo de Sousa.

O Presidente da República, que falava à margem das comemorações do 192.º aniversário da Faculdade de Medicina do Porto acrescentou, que é "uma lição para o futuro, porque no futuro temos de evitar a ocorrência de situações dessas".

O jornal Público noticiou na terça-feira que quase dez mil milhões de euros em transferências realizadas entre 2011 e 2014 para contas sediadas em paraísos fiscais não foram nesse período alvo de qualquer tratamento por parte da Autoridade Tributária e Aduaneira, embora tenham sido comunicadas pelos bancos à administração fiscal, como a lei obriga.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

O Banco de Portugal está preso a uma história que tem de reconhecer para mudar

Tem custado ao Banco de Portugal adaptar-se ao quadro institucional decorrente da criação do euro. A melhor prova disso é a fraca capacidade de intervir no ordenamento do sistema bancário nacional. As necessárias decisões acontecem quase sempre tarde, de forma pouco consistente e com escasso escrutínio público. Como se pode alterar esta situação, dentro dos limites impostos pelas regras da zona euro, em que os bancos centrais nacionais respondem sobretudo ao BCE? A resposta é difícil, mas ajuda compreender e reconhecer melhor o problema.