Fraudes com medicamentos levam ADSE a apresentar queixa na PGR

A sobrefaturação de medicamentos é uma das anormalidades e há mesmo casos de medicamentos de marca que são debitados à ADSE quando na realidade foram administrados genéricos aos doentes.

A ADSE vai denunciar novos casos de fraudes nos hospitais públicos com o subsistema de saúde dos funcionários públicos à Procuradoria-Geral da República.

De acordo com o Jornal Económico, a sobrefaturação de medicamentos é uma das anormalidades e há mesmo casos de medicamentos de marca que são debitados à ADSE quando na realidade foram administrados genéricos aos doentes, segundo dados de auditorias feitas recentemente.

A ADSE quer colocar um travão para preços dos medicamentos, definindo um limite pelo fármaco faturado em unidose, que tenha como preço máximo o PVP do medicamento acrescido de uma percentagem de 40%, não podendo a margem superar os 50 euros.

O presidente do conselho diretivo da ADSE, Carlos Liberato Baptista, disse ao jornal que, em breve, vão seguir para o Ministério Público novas comunicações de fraude.

Exclusivos

Premium

Clássico

Mais de 55 milhões de euros separam plantéis de Benfica e FC Porto

Em relação à época passada, os encarnados ultrapassaram os dragões no que diz respeito à avaliação do plantel. Bruno Lage tem à sua disposição um lote de jogadores avaliado em 310,7 milhões de euros, já Sérgio Conceição tem nas mãos um grupo que vale 255,5 milhões. Neste sábado, no Estádio da Luz, defrontam-se pela primeira vez esta temporada.