Ferroviários fazem greve a 4 de junho contra agente único nos comboios

"A circulação de comboios só com um agente põe em causa a segurança ferroviária - trabalhadores, utentes e mercadorias", afirmaram os representantes dos trabalhadores

Os trabalhadores ferroviários da CP, Medway e Takargo vão estar em greve no dia 4 de junho contra a possibilidade de circulação de comboios com um único agente, foi hoje divulgado pelos sindicatos subscritores do pré-aviso.

"A circulação de comboios só com um agente põe em causa a segurança ferroviária -- trabalhadores, utentes e mercadorias -- e, por isso, é preciso que não subsistam dúvidas no Regulamento Geral de Segurança (RGS)", afirmaram os representantes dos trabalhadores numa nota de imprensa.

Os ferroviários contestam que sejam feitas alterações ao RGS com o objetivo de reduzir custos operacionais.

Luís Bravo, do Sindicato Ferroviário da Revisão e Comercial Itinerante, disse à agência Lusa que o pré-aviso de greve foi emitido por seis sindicatos porque a redação do RGS, em discussão nos últimos meses, deixa em aberto a possibilidade de os operadores decidirem se colocam um ou dois trabalhadores nos comboios.

A greve de 4 de junho vai abranger todos os trabalhadores ferroviários da CP, Medway e Takargo e todo o tipo de trabalho das 0:00 às 24:00

Em novembro os sindicatos dos ferroviários suspenderam uma greve após terem acordado com o Governo que a redação do regulamento de segurança iria ser melhorada de forma a garantir que cada comboio circularia sempre com um maquinista e um revisor ou operador de mercadorias.

"Mas isso não aconteceu, o grupo de trabalho que tratou desta matéria já terminou a sua função e o novo texto dá possibilidade de decisão aos operadores, pondo até em causa as regras da União Europeia", disse Luís Bravo.

Atualmente, os comboios circulam sempre com dois trabalhadores, exceto na Fertagus que, ao abrigo do RGS, pode funcionar com agente único entre Setúbal e o Pragal.

A greve de 4 de junho vai abranger todos os trabalhadores ferroviários da CP, Medway e Takargo e todo o tipo de trabalho das 0:00 às 24:00 dessa data.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

Benefícios fiscais para quê e para quem

São mais de 500 os benefícios fiscais existentes em Portugal. Esta é uma das conclusões do relatório do Grupo de Trabalho para o Estudo dos Benefícios Fiscais (GTEBF), tornado público na semana passada. O número impressiona por uma razão óbvia: um benefício fiscal é uma excepção às regras gerais sobre o pagamento de impostos. Meio milhar de casos soa mais a regra do que a excepção. Mas este é apenas um dos alertas que emergem do documento.

Premium

educação

O que há de fascinante na Matemática que os fez segui-la no ensino superior

Para Henrique e Rafael, os números chegaram antes das letras e, por isso, decidiram que era Matemática que seguiriam na universidade, como alunos do Instituto Superior Técnico de Lisboa. No dia em que milhares de alunos realizam o exame de Matemática A, estes jovens mostram como uma área com tão fracos resultados escolares pode, afinal, ser entusiasmante.