Empresa de César ganhou negócios por ajuste direto com entidades dos Açores

Líder parlamentar do PS foi consultor de subsidiária da Globestar Systems. Seis negócios ascenderam a 328 mil euros

Foi o líder parlamentar do PS, Carlos César, que comentou a contratação de Maria Luís Albuquerque por parte da britânica Arrow Global, falando num caso "no mínimo embaraçoso para a política e para a Assembleia da República". No entanto, a ex-ministra das Finanças não foi a única a "saltar" de um alto cargo no Estado para uma empresa privada com a qual, direta ou indiretamente, teve alguma relação.

Entre janeiro de 2014 e junho do ano passado, o ex-presidente do governo regional dos Açores foi consultor na Globestar Systems Unipessoal, Lda. - tal como consta do registo de interesses do próprio deputado -, empresa detida pela multinacional de telecomunicações e software Globestar Systems Inc., do português David Tavares e com sede em Toronto (Canadá), com a qual o executivo regional manteve estreitas relações.

A Globestar (a holding e a subsidiária) conseguiu seis contratos por ajuste direto com entidades públicas açorianas, dois deles enquanto César chefiava o executivo regional - fê-lo entre 1996 e 2012. Mas vamos por partes. Em setembro de 2010, de acordo com o Portal Base, o Serviço de Proteção Civil e de Bombeiros dos Açores adjudicou à Globestar Systems Unipessoal um contrato de "fornecimento e implementação do sistema integrado de gestão de avisos e alertas" no valor de 72 835 euros e em fevereiro de 2011 a Saudaçor (empresa totalmente pública de gestão de recursos e equipamentos de saúde dos Açores), também por ajuste direto, adquiriu uma plataforma de comunicações por 57 mil euros.

Já com César fora do governo açoriano - e ainda sem exercer funções na empresa -, em dezembro de 2013, foi a subsidiária Global Systems Europe a fechar um contrato, pelo mesmo método, com o município da Ribeira Grande, desta feita para fornecimento e implementação de um sistema de gestão do abastecimento de água, ascendendo quase a 70 mil euros.

E, após o agora deputado socialista ter assumido as funções de consultor, a Globestar Systems Europe acertou, em janeiro de 2014, com a Secretaria Regional do Turismo e Transportes a aquisição e instalação de uma plataforma alarmística no valor de 33 mil euros.

A esse negócio acresceu ainda um da própria subsidiária nacional, com sede em Ponta Delgada, novamente com a autarquia de Ribeira Grande. Foram 70 mil euros num contrato de ajuste direto para implementação de um sistema de comunicações entre reservatórios em baixa.

Sem César na equação, a empresa portuguesa garantiu um outro contrato com a Saudaçor, em outubro do ano passado. Vinte e cinco mil euros para material técnico de comunicações em instalações de saúde.

Ler mais

Exclusivos