Edgar Silva. "A única derrota é Marcelo Rebelo de Sousa ganhar à primeira volta"

O candidato comunista mostrou, esta tarde, em Loures, que os treinos, antigos, de jogador de futebol, estão afinados para fintar... jornalistas

Foi como um "bate-bola" entre Edgar Silva e os jornalistas que estão a cobrir a campanha comunista. Queria-se saber de objetivos eleitorais e pós eleições. E o candidato foi respondendo a algumas questões, outras respondendo sem responder, fintando as perguntas, driblando as insistências. "O que é para si um bom resultado?, questionavam os jornalistas. "É ganhar as eleições", respondia, com um sorriso. "Não ganhando?", insistiam. "Tudo o que possam ser mais votos que defendam abril será um resultado positivo", acrescentou. "E se tiver a votação abaixo de Marisa Matias?", perguntavam. "O meu único adversário é Marcelo Rebelo de Sousa", sublinhou. "Mas é para si uma derrota se tiver menos votos do que a candidata do BE?", insistiam. "A única derrota é Marcelo Rebelo de Sousa ganhar à primeira volta", frisou. "Quem defende melhor os valores de abril, Maria de Belém ou Sampaio da Nóvoa?". "A candidatura de Edgar Silva", chutou para canto.

No edifício da Câmara Municipal de Loures, com o presidente comunista, Bernardino Soares, ao seu lado, Edgar Silva fintou todas as perguntas sobre o impacto dos resultados eleitorais no seu futuro político, o qual, estará à prova no PCP, como potencial sucessor de Jerónimo Sousa. Mostrou que os treinos, "noutra reencarnação", como o próprio situa, quando se refere aos anos 90, quando era padre e jogava a avançado centro no Nacional da Madeira, ainda estão bem afinados, para chutar para fora do relvado as perguntas dos jornalistas. "Ninguém de bom senso deve responder a perguntas no condicional. Podemos entrar no jogo da advinhação de futuro. Eu planeio a minha vida com base em factos concretos e um facto neste momento é tudo fazer para que os valores de abril ganhem as eleições", sublinhou.

Antes da arruada ao final a tarde, na Baixa/Chiado, com a presença do secretário-geral do PCP, Jerónimo Sousa, Edgar Silva quis fazer esta visita à autarquia de Loures, onde almoçou no refeitório dos funcionários, depois de ter esperado com a "senha de refeição", na longa fila. "Não foi por acaso que escolhi esta autarquia", explicou no final da visita, "fiz questão em vir aqui neste final de campanha porque este município tem um forte significado político. É um exemplo de como, através de medidas concretas para melhorar a qualidade de vida dos cidadãos, defendendo os interesses do povo que aqui vive, na exigência de mais meios humanos e materiais, no apoio social desenvolvido, os valores de abril se pode afirmar. E se é possível aqui, é possível também à escala nacional". Bernardino Soares, que foi presidente do grupo parlamentar do PCP agradeceu as "palavras" que lhe deram "esperança e força para continuar".

Exclusivos