Dois portugueses feridos em acidente de trabalho em Cabo Verde

Dois trabalhadores de uma empresa do grupo Mota-Engil estão fora de perigo

Dois portugueses ficaram hoje feridos na sequência de um acidente no estaleiro do porto da Palmeira, no Sal, mas encontram-se fora de perigo, segundo disse a cônsul honorária de Portugal naquela ilha cabo-verdiana à agência Lusa.

Segundo Sílvia Sousa, os dois portugueses são trabalhadores da CPTP, empresa do grupo Mota-Engil, que se dedica ao aluguer de equipamento de construção.

Um dos portugueses sofreu uma fratura numa perna e foi submetido a uma intervenção cirúrgica e o segundo fraturou as costelas, mas os dois "estão fora de perigo e não inspiram cuidados", de acordo com Sílvia Sousa, que está no hospital a acompanhar a situação dos dois trabalhadores.

Segundo a publicação 'online' Oceanpress, juntamente com os portugueses ficou igualmente ferido um trabalhador cabo-verdiano.

A publicação adianta que o acidente aconteceu cerca das 10 horas (mais duas em Lisboa) de hoje no cais da Palmeira, quando um camião caiu sobre os três homens, informação não confirmada pela cônsul portuguesa, que contudo não adiantou pormenores sobre o acidente.

Exclusivos

Premium

Leonídio Paulo Ferreira

Nuclear: quem tem, quem deixou de ter e quem quer

Guerrilha comunista na Grécia, bloqueio soviético de Berlim Ocidental ou Guerra da Coreia são alguns dos acontecimentos possíveis para datar o início da Guerra Fria, que alguns até fazem remontar à partilha da Europa em esferas de influência por Churchill e Estaline ainda o nazismo não tinha sido derrotado. Mas talvez 29 de agosto de 1949, faz agora 70 anos, seja a melhor opção, afinal nesse dia a União Soviética fez explodir a sua primeira bomba atómica e o monopólio da arma pelos Estados Unidos desapareceu. Sim, foi o teste em Semipalatinsk que estabeleceu o tal equilíbrio do terror, primeiro atómico e depois nuclear, que obrigou as duas superpotências a desistirem de uma Guerra Quente.