Diretor do gabinete de acidentes com aeronaves "opôs-se repetidamente" às orientações do Governo

Álvaro Neves, que foi exonerado da liderança do gabinete de investigação de acidentes com aeronaves, diz que foi saneado do cargo

O ministro do Planeamento e Infraestruturas, Pedro Marques, disse hoje que o diretor do Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves (GPIAA), Álvaro Neves, foi afastado do cargo porque "repetidamente opôs-se" às orientações do Governo.

"Houve uma oposição repetida às orientações do Governo, houve claramente o assumir, em vários momentos, que, do ponto de vista deste dirigente, não estavam reunidas as condições para a prossecução daquela política pública", disse.

Para Pedro Marques, que falava aos jornalistas à margem das comemorações dos 358 anos da Batalha das Linhas de Elvas, o "mais importante" era "assegurar" que estivessem reunidas as condições para o organismo poder trabalhar com normalidade e, por outro lado, "repor a normalidade institucional numa área importante" da política pública.

O diretor do GPIAA, Álvaro Neves, disse na sexta-feira que foi "saneado habilidosamente" do cargo pelo Governo e garante que vai lutar pela defesa da sua imagem e integridade profissional.

O Ministério do Planeamento e das Infraestruturas anunciou na quinta-feira a decisão de fundir o GPIAA com o seu congénere ferroviário (GISAF) num organismo único.

O ministro do Planeamento e Infraestruturas considera que o Governo ao desenvolver esta restruturação vai "valorizar cada vez mais" a investigação de acidentes, garantir autonomia técnica, seguindo o modelo existente nos países nórdicos.

Ler mais

Exclusivos