Direção do SEF pediu à ANA para retirar a máquina de "smiles"

O SEF contesta a monitorização da ANA sobre o aumento do tempo de espera dos passageiros, no controlo de passaportes, do aeroporto Humberto Delgado

A direção do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) pediu à ANA, empresa que gere os aeroportos nacionais, que retire a máquina de "smiles" que tinha sido colocada junto aos postos de controlo de passaportes, para os passageiros avaliarem o trabalho dos inspetores deste serviço de segurança. "O SEF entende, como serviço de segurança interna, que a utilização de um sistema de Smiles para classificar o controlo dos passaportes constitui uma forma de escrutínio simplista, sem resultados objetivos em relação ao resultado pretendido", sublinha.

Conforme o DN já tinha noticiado, este equipamento, colocado há cerca de dois meses na zona das chegadas, mereceu também repúdio por parte do Sindicato da Carreira de Inspeção e Fiscalização, que representa os inspetores. O presidente considerou "ridícula" a iniciativa da ANA-Aeroportos de Portugal e anunciou uma queixa em tribunal.

A direção do SEF sublinha que "para avaliar a boa ou má aplicação da lei e os procedimentos de segurança na circulação das fronteiras conjugada como a atuação dos inspetores neste processo existem formas de monitorização específicas, como sejam os livros de reclamações, as inspeções e auditorias (internas e externas ao serviço), as avaliações (como a avaliação Schengen) em curso, as provedorias, relatórios Frontex, entre outros". Não há, assegura o SEF, "informação por parte de serviços congéneres da existência de sistemas de monitorização, similares aos utilizados em supermercados, espaços comerciais para avaliar funções de forças e serviços de segurança".

Esta medida da ANA surgiu numa altura em que o tempo de espera dos turistas no controlo de passaportes tem aumentado no aeroporto Humberto Delgado. A empresa, como também noticiado pelo DN no último sábado, está a monitorizar as demoras nos postos do SEF e concluiu que a situação tem piorado este ano. Entre janeiro e fevereiro, por exemplo, aumentou em 500% o número de passageiros que tiveram de esperar mais de uma hora para entrar em Portugal.

A direção do SEF contesta a análise da empresa, apontando que os números da ANA "são relativos a tempos máximos de picos existentes e não o tempo ao longo de todo o dia". O SEF afiança que o aumento do número de passageiros controlados no aeroporto de Lisboa é "da ordem dos 32%" no primeiro semestre deste ano, comparando com igual período de 2016 e 2015. "Neste aeroporto", salienta o SEF, "aumentaram os voos de longo curso, o que implica o desembarque ao mesmo tempo de um maior número de passageiros, sobretudo oriundos de países terceiros; as rotas são mais complexas, requerendo análises de risco mais elaboradas; as novas realidades internacionais tiveram reflexo num aumento significativo de pedidos de asilo".

Ler mais

Exclusivos