Detidos burlões de idosos

Dois homens, de 21 e 45 anos, suspeitos de terem burlado idosos após pedirem para fotografar o ouro que tinham em casa, foram detidos por militares do Núcleo de Investigação Criminal do destacamento de Viseu da GNR.

Os indivíduos "abordavam os idosos alegando serem conhecidos de familiares, criando assim empatia com os mesmos" e de seguida pediam-lhes "para fotografar o ouro que tivessem nas suas residências, argumentando que iam abrir uma ourivesaria, e ofereciam-lhes um rádio de baixo valor", adiantou à Lusa a GNR.

Segundo a Guarda, os suspeitos "com este esquema, efetuaram burlas no valor de vários milhares de euros", e "quando não conseguiam os seus intentos", agrediam fisicamente os idosos.

Na detenção dos dois homens, residentes em Moura, as autoridades apreenderam "dois brincos em ouro, uma viatura, dinheiro, um telemóvel e nove rádios".

Ler mais

Exclusivos

Premium

DN Life

DN Life. «Não se trata o cancro ou as bactérias só com a mente. Eles estão a borrifar-se para o placebo»

O efeito placebo continua a gerar discussão entre a comunidade científica e médica. Um novo estudo sugere que há traços de personalidade mais suscetíveis de reagir com sucesso ao referido efeito. O reumatologista José António Pereira da Silva discorda da necessidade de definir personalidades favoráveis ao placebo e vai mais longe ao afirmar que "não há qualquer hipótese ética de usar o efeito placebo abertamente".