Demolição completa sem fim à vista

A Câmara do Porto revelou esta quinta-feira à Lusa que o bairro do Aleixo não vai ser todo demolido até ao fim do mandato de Rui Rio, ao contrário do que o autarca tinha previsto há um ano.

"Não será possível demolir o bairro todo até final do mandato porque tivemos de recalendarizar o plano de intervenção em resultado de alteração da composição do fundo de investimento", adiantou à Lusa o gabinete de comunicação da autarquia.

Em 2013, a Câmara prevê "demolir uma ou duas" das quatro torres que o bairro tem atualmente, admite a mesma fonte, numa resposta escrita enviada à Lusa.

A implosão do primeiro bloco do bairro social que a maioria PSD/CDS da Câmara do Porto quer demolir foi feita a 16 de dezembro de 2011.

Nesse dia, o presidente da autarquia, Rui Rio, disse esperar que a demolição de todo o bairro estivesse concluída até ao final do seu mandato.

"O projeto completamente concluído nem sequer será no meu tempo. No meu tempo pode ser, e espero que seja, a demolição integral do bairro e o realojamento das pessoas. Isso é que vou procurar conseguir", disse o autarca aos jornalistas, momentos depois da demolição da torre 5.

Rui Rio admitiu que a atual crise económica poderá ser "um obstáculo" ao desenvolvimento do projeto, porque "quando tudo isto foi desenhado não havia a crise que há neste momento", mas vincou ser "um obstáculo a ultrapassar".

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Estou a torcer por Rio apesar do teimoso Rui

Meu Deus, eu, de esquerda, e só me faltava esta: sofrer pelo PSD... É um problema que se agrava. Antigamente confrontava-me com a fria ministra das Finanças, Manuela Ferreira Leite, e agora vejo a clarividente e humana comentadora Manuela Ferreira Leite... Pacheco Pereira, um herói na cruzada anti-Sócrates, a voz mais clarividente sobre a tragédia da troika passista... tornou-se uma bússola! Quanto não desejei que Rangel tivesse ganho a Passos naquele congresso trágico para o país?!... Pudesse eu escolher para líder a seguir a Rio, apostava tudo em Moreira da Silva ou José Eduardo Martins... O PSD tomou conta dos meus pesadelos! Precisarei de ajuda...?

Premium

arménios na síria

Escapar à Síria para voltar à Arménia de onde os avós fugiram

Em 1915, no Império Otomano, tiveram início os acontecimentos que ficariam conhecidos como o genocídio arménio. Ainda hoje as duas nações continuam de costas voltadas, em grande parte porque a Turquia não reconhece que tenha havido uma matança sistemática. Muitas famílias procuraram então refúgio na Síria. Agora, devido à guerra civil que começou em 2011, os netos daqueles que fugiram voltam a deixar tudo para trás.