Dadores de sangue vão ficar isentos de taxas moderadoras

Isenção total vai abranger 126 mil dadores de sangue e foi hoje anunciada pelo ministro da Saúde.

Os dadores de sangue vão passar a ficar totalmente isentos do pagamento de taxas moderadoras no SNS, nomeadamente quando se dirigirem aos hospitais. Atualmente, têm uma isenção parcial que abrange apenas os cuidados de saúde primários. Ao todo, serão abrangidos 126 619 utentes, de acordo com dados de novembro facultados pelo Ministério da Saúde.

A medida foi hoje anunciada pelo ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, durante a vista que fez ao Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, onde visitou o serviço de cirurgia cardiotorácica e inaugurou as novas salas de hemodinâmica e pacing.

Os dadores de sangue perderam o direito à isenção total há alguns anos, no âmbito de uma alteração que ficou a cargo do ministro Paulo Macedo. Apesar de haver um maior número de utentes isentos, muitos passaram apenas a sê-lo em parte, seja no âmbito de cuidados associados apenas à sua doença crónica, ou quando se dirigiam aos cuidados primários.

A isenção total implica o não pagamento de qualquer taxa, seja em exames, consultas ou urgências.

Recentemente foi anunciada pelo Ministério a redução de taxas moderadoras de forma global, bem como a ausência de pagamento de taxa para quem é enviado pela Linha de Saúde 24 ou pelos centros de saúde para a urgência.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

A Europa, da gasolina lusa ao palhaço ucraniano

Estamos assim, perdidos algures entre as urnas eleitorais e o comando da televisão. As urnas estão mortas e o nosso comando não é nenhum. Mas, ao menos, em advogado de Maserati que conduz sindicalistas podíamos não ver matéria de gente rija como cornos. Matéria perigosa, sim. Em Portugal como mais a leste. Segue o relato longínquo para vermos perto.Ontem, defrontaram-se os dois candidatos a presidir a Ucrânia. Não é assunto irrelevante apesar de vivermos no outro extremo da Europa. Afinal, num canto ainda mais a leste daquele país há uma guerra civil meio instigada pelos russos - e hoje sabemos, como não sabíamos ainda há pouco, que as guerras de anteontem podem voltar.

Premium

Marisa Matias

Greta Thunberg

A Antonia estava em Estrasburgo e aproveitou para vir ao Parlamento assistir ao discurso da Greta Thunberg, que para ela é uma heroína. A menina de 7 ou 8 anos emocionou-se quando a Greta se emocionou e não descolou os olhos enquanto ela falava. Quando, no final do discurso, se passou à ronda dos grupos parlamentares, a Antonia perguntou se podia sair. Disse que tinha entendido tudo o que a Greta tinha dito, mas que lhe custava estar ali porque não percebia nada do que diziam as pessoas que estavam agora a falar. Poucos minutos antes de a Antonia ter pedido para sair, eu tinha comentado com a minha colega Jude, com quem a Antonia estava, que me envergonhava a forma como os grupos parlamentares estavam a dirigir-se a Greta.