Cristas reclama coerência para o CDS na lei da imigração e admite proposta de alteração

Líder dos centristas admite apresentar proposta própria com alterações à lei da imigração

A presidente do CDS-PP salientou esta quinta-feira que os centristas foram os únicos a votar contra as alterações à lei da imigração, admitindo apresentar uma proposta própria para repor o consenso da legislação anterior, que envolvia PS e PSD.

"Certamente que o CDS convocará todos para restabelecer o consenso que foi perdido, porque a verdade é que este consenso entre PSD, CDS e PS existia. Foi quebrado quando o PS acolheu propostas vindas das esquerdas mais radicais e o PSD absteve-se, creio que agora se terá apercebido de que não foi no bom caminho esta alteração", afirmou Assunção Cristas aos jornalistas.

De acordo com a líder centrista, o CDS deverá apresentar na Assembleia da República "uma proposta no sentido de repor a lei como ela exista antes e que correspondia a este conceito mais alargado", que se juntará, assim, ao projeto de lei apresentado hoje pelo PSD.

"O CDS mantém-se consistente e coerente com a sua posição, não a mudou", salientou aos jornalistas, no final de uma ação de campanha à Câmara de Lisboa, na qualidade de cabeça de lista da coligação "Pela Nossa Lisboa" (CDS-PP/MPT/PPM).

Ler mais

Exclusivos

Premium

Saúde

Empresa de anestesista recebeu meio milhão de euros num ano

Há empresas (muitas vezes unipessoais) onde os anestesistas recebem o dobro do oferecido no Serviço Nacional de Saúde para prestarem serviços em hospitais públicos carenciados. Aquilo que a lei prevê como exceção funciona como regra em muitas unidades hospitalares. Ministério diz que médicos tarefeiros são recursos de "última instância" para "garantir a prestação de cuidados de saúde com qualidade a todos os portugueses".