Crise pode aumentar procura pelo oculto

Padre Fontes, figura emblemática do Barroso e conhecido por "dom bruxo", por ser o impulsionador das "sexta-feira 13" em Montalegre, acredita que a crise poderá levar as pessoas a refugiarem-se "mais" nas ciências ocultas.

Em conversa com a Lusa, o sacerdote afirmou que é, diariamente, "bombardeado" com telefones e e-mails de pessoas à procura de soluções positivas para diferentes tipos de problemas, porque pensam que tem poderes.

"Eu não tenho poderes, tenho saberes", garantiu.

Desta forma, quando recebe "pedidos de ajuda", o padre tenta "desmitificar" a mentalidade das pessoas. "Às vezes é complicado explicar que não sou bruxo e que não tenho poderes nenhuns", ressalvou.

Atualmente, as pessoas que não têm emprego, dinheiro ou saúde, poderão ser levadas a pensar que se deve a mau-olhado, inveja ou praga feita por alguém. Por isso, irão procurar soluções ao "oculto", mas acabarão "roubadas e enganadas".

Muitas vezes, sublinhou, os seres humanos querem ser iludidos com aquilo que não conhecem e são "burlados", porque acreditam que existem pessoas com poderes ilimitados para manobrar a consciência.

Assim, o padre Fontes considera que a procura pelas ciências ocultas poderá vir a aumentar com a crise, porque há uma maior propaganda e aproveitamento para que a clientela surja.

As pessoas que procuram ajuda no oculto acreditam que com rituais "tudo" pode mudar e melhorar, porque é a única solução que procuram, mas é "mentira". Hoje, o "maior problema" das pessoas é a crise económica e a sua "maior" praga a "troika".

O ponto alto e mais esperado da Noite das Bruxas é a preparação da queimada, licor feito à base de aguardente, açúcar, mel, limão e maçã pelo padre Fontes, à qual é associada um esconjuro.

A esconjuração, lembrou o sacerdote, não é mais do que uma brincadeira, provocação, fantasia e encenação teatral para divertir e criar boa disposição entre a multidão, pelo que não é para ser "levada a sério".

O padre Fontes acredita que o número de "curiosos" na primeira sexta-feira 13 de 2012 possa diminuir porque, ao longo do ano, haverá ainda mais duas datas associadas ao azar (abril e julho).

O atrativo da Noite das Bruxas, na opinião do eclesiástico, assenta na realização de uma peça de teatro à volta do Castelo de Montalegre, o ambiente mágico, beleza natural da região, gastronomia e brincadeira à volta do místico.

"Numa peça de teatro, as pessoas adormecem e aplaudem no fim. Neste espetáculo, os presentes têm ação de liberdade, encarnam diferentes personagens e tornam-se participantes e não apenas espetadores", ressalvou.

Na véspera da primeira sexta-feira 13 e, apesar das baixas temperaturas, o padre Fontes diz-se preparado para fazer barulho, impressionar e alegrar os "curiosos". "A Noite das Bruxas é uma fantasia", terminou.

Ler mais

Exclusivos