Criador da internet diz que grande desafio será sair do planeta

Tim Berners-Lee está em Lisboa para falar do futuro daqui a 100 anos na Fundação Champalimaud. Pai da internet deseja ainda que todos se respeitem da mesma maneira.

O cientista inglês Tim Berners-Lee acredita que nos próximos 100 anos será imperativo que os humanos descubram uma maneira de sair do planeta. "Temos as alterações climáticas, a possibilidade de ter acidentes nucleares, químicos ou biológicos. Por isso, sair do planeta vai ser importante."

Além disso mostrou-se preocupado com o controlo que os governos e algumas instituições podem ter da internet. Para alguém que criou a rede "o controlo da internet por governos ou organizações é preocupante".

Tim Berners-Lee foi o primeiro a falar e operador principal da conferência O Desconhecido a 100 anos de hoje que decorre hoje e amanhã na Fundação Champalimaud, em Lisboa, na qual se assinalam os seus 10 anos de existência.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

Globalização e ética global

1. Muitas das graves convulsões sociais em curso têm na sua base a globalização, que arrasta consigo inevitavelmente questões gigantescas e desperta paixões que nem sempre permitem um debate sereno e racional. Hans Küng, o famoso teólogo dito heterodoxo, mas que Francisco recuperou, deu um contributo para esse debate, que assenta em quatro teses. Segundo ele, a globalização é inevitável, ambivalente (com ganhadores e perdedores), e não calculável (pode levar ao milagre económico ou ao descalabro), mas também - e isto é o mais importante - dirigível. Isto significa que a globalização económica exige uma globalização no domínio ético. Impõe-se um consenso ético mínimo quanto a valores, atitudes e critérios, um ethos mundial para uma sociedade e uma economia mundiais. É o próprio mercado global que exige um ethos global, também para salvaguardar as diferentes tradições culturais da lógica global e avassaladora de uma espécie de "metafísica do mercado" e de uma sociedade de mercado total.