"Cozinha com alma" para carenciados

Refeições preparadas por chef Nuno Simões são inspiradas em receitas de Chakal, Luís Baena e Filipa Vacondeus e são servidas a preços simbólicos

Refeições com menus preparados por vários chef de cozinha vão passar a ser servidas a famílias carenciadas da zona de Cascais. A "Cozinha com alma" é um projeto da Associação Cozinha Solidária e Refeições com Alma e abriu hoje num novo espaço.

Os pratos inspirados nas receitas de Chakal, Luís Baena e Filipa Vacondeus serão vendidos ao grande público e os lucros decorrentes desse serviço de catering irão financiar a disponibilização dessas mesmas refeições a famílias carenciadas.

Estas serão seleccionadas por um grupo de técnicos consoante o seu escalão de rendimentos e a sua situação particular. Ao serem incluídas na Bolsa Social do concelho, estas pessoas poderão ir buscar as refeições a preços simbólicos.

Este projeto conta com a colaboração da Junta de Fregueisa de Cascais e da autarquia.

Exclusivos

Premium

Leonídio Paulo Ferreira

Nuclear: quem tem, quem deixou de ter e quem quer

Guerrilha comunista na Grécia, bloqueio soviético de Berlim Ocidental ou Guerra da Coreia são alguns dos acontecimentos possíveis para datar o início da Guerra Fria, que alguns até fazem remontar à partilha da Europa em esferas de influência por Churchill e Estaline ainda o nazismo não tinha sido derrotado. Mas talvez 29 de agosto de 1949, faz agora 70 anos, seja a melhor opção, afinal nesse dia a União Soviética fez explodir a sua primeira bomba atómica e o monopólio da arma pelos Estados Unidos desapareceu. Sim, foi o teste em Semipalatinsk que estabeleceu o tal equilíbrio do terror, primeiro atómico e depois nuclear, que obrigou as duas superpotências a desistirem de uma Guerra Quente.