Costa na lista das pessoas a ter em conta na Europa em 2018

Ranking de 28 personalidades foi anunciado hoje pelo site Politico. Primeiro-ministro português surge entre os dez primeiros.

Apelidado de "o esquerdista de sucesso", António Costa é o nono na lista de 28 pessoas que a versão europeia do site Politico garante que irão "moldar a Europa em 2018".

O primeiro-ministro português é descrito como um "caso raro na Europa de hoje: um socialista de sucesso", mas também como um "um duro lutador político escondido atrás de um pronto sorriso de campanha", com o Politico a dizer que "depois de guiar o seu partido para uma vitória recorde nas eleições autárquicas de outubro", Costa entra no novo ano "esperando fazer ainda melhor".

O site lembra que António Costa viu a sua popularidade beliscada pela forma como o governo geriu os incêndios de junho e outubro, mas que "os apoiantes de Costa esperam que a rápida recuperação económica de Portugal restabeleça rapidamente a posição do primeiro-ministro".

Costa é ainda elogiado pela "sua habilidade notável para equilibrar as exigências de esquerda para reverter o apertar de cinto da recessão com uma poupança cautelosa que agradou aos investidores estrangeiros e aos parceiros de Portugal na zona euro".

É também recordado que no próximo ano, "Costa terá de continuar a sua ação de equilíbrio económico, enfrentar um novo líder da oposição e usar as suas habilidades políticas para gerir um relacionamento complicado com os dois partidos de extrema-esquerda que apoiam o seu governo minoritário", sublinhando que o objetivo do primeiro-ministro é "garantir uma maioria absoluta nas próximas eleições legislativas, previstas para 2019".

O Politico refere também os elogios feitos pelos socialistas europeus, como o do ex-presidente francês François Hollande. "O que está a acontecer em Portugal é um exemplo do que se consegue fazer com um programa de governo que é ao mesmo tempo credível e fiel aos teus valores".

A Classe de 28 para 2018 do Politico é liderada pelo alemão Christian Lindner, o líder dos liberais alemães que fez cair as negociações de uma coligação com Angela Merkel, deixando a Alemanha num impasse político. Segue-se Michael Gove, o ministro britânico do ambiente e um dos mentores do brexit, e Muriel Pénicaud, a ministra do Trabalho de França e um dos nomes fortes do governo de Emmanuel Macron.

Ler mais

Exclusivos

Premium

JAIME NOGUEIRA PINTO

O arauto da revolta popular

Rejeição. Não é, por enquanto, senão isso. Não pelos reaccionários, pelos latifundiários, pelos generais golpistas, pelos fascistas declarados ou encapotados, mas pelo povo brasileiro, que vota agora contra a esquerda dita idealista - e notoriamente irrealista quanto à natureza humana (sobretudo à própria) - que montou um "mecanismo" de enriquecimento ilícito e de perpetuação no poder digno dos piores hábitos do coronelismo e do caciquismo que os seus antepassados ideológicos, de Josué de Castro a Celso Furtado, tanto criticaram. Um povo zangado, enganado, roubado, manipulado pelos fariseus da tolerância, dos direitos humanos e das flores de retórica do melhor dos mundos, pelos donos de tudo - do pensamento único aos recursos do Estado.