Corpo aparece a boiar no rio Tejo

Desconhecem-se as causas da morte. Equipa médica limitou-se a confirmar o cadáver, encontrado junto à Avenida do Mar, no Barreiro

Uma mulher foi encontrada morta no rio Tejo, junto à Avenida do Mar, no Barreiro, este sábado à noite, pelas 21.00, desconhecendo-se as causas da morte, confirmou ao DN fonte oficial do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Setúbal.

Depois de alertadas as autoridades, a equipa de uma viatura de emergência médica limitou-se a confirmar o cadáver. Desconhece-se ainda a idade da mulher.

Para o local foram deslocados seis veículos e 14 operacionais dos bombeiros, INEM, Polícia Marítima e PSP.

"O corpo já foi retirado do local", adiantou fonte do CDOS de Setúbal à Lusa.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

A "taxa Robles" e a desqualificação do debate político

A proposta de criação de uma taxa sobre especulação imobiliária, anunciada pelo Bloco de Esquerda (BE) a 9 de setembro, animou os jornais, televisões e redes sociais durante vários dias. Agora que as atenções já se viraram para outras polémicas, vale a pena revistar o debate público sobre a "taxa Robles" e constatar o que ela nos diz sobre a desqualificação da disputa partidária em Portugal nos dias que correm.

Premium

Rosália Amorim

Crédito: teremos aprendido a lição?

Crédito para a habitação, crédito para o carro, crédito para as obras, crédito para as férias, crédito para tudo... Foi assim a vida de muitos portugueses antes da crise, a contrair crédito sobre crédito. Particulares e também os bancos (que facilitaram demais) ficaram com culpas no cartório. A pergunta que vale a pena fazer hoje é se, depois da crise e da intervenção da troika, a realidade terá mudado assim tanto? Parece que não. Hoje não é só o Estado que está sobre-endividado, mas são também os privados, quer as empresas quer os particulares.