Conselho Nacional do CDS propõe congresso a 12 e 13 de março

Conselho Nacional dos CDS-PP está reunido na sede do partido, em Lisboa

A direção do CDS-PP vai hoje propor ao Conselho Nacional a marcação do 26.º Congresso para os dias 12 e 13 de março, uma reunião magna que será eletiva da liderança à qual Paulo Portas não se recandidata.

O local da realização do Congresso ainda não está definido, disse fonte do CDS-PP que acrescentou que haverá 1.200 delegados, 70% dos quais eleitos e 30% por inerência de cargos.

O Conselho Nacional do CDS-PP, reunido hoje à noite na sede do partido em Lisboa, é a última reunião do órgão máximo do partido entre congressos da liderança de Paulo Portas.

Aos conselheiros nacionais, Paulo Portas deverá reforçar a mensagem deixada perante a comissão política centrista quando comunicou que não se recandidatava à presidência do partido, no dia 28 de janeiro.

A renovação do CDS-PP, a cargo de uma nova geração, que congrega juventude mas também experiência, é o núcleo central dessa mensagem.

"O CDS foi sempre capaz de, nas horas certas, dar um salto em frente quando um novo ciclo político se abre", declarou Portas na altura, considerando que a sua sucessão não deve ser olhada "como um problema, mas uma oportunidade, algo que traz ao CDS renovação e não apenas continuidade, uma decisão que, em qualquer caso, deverá permitir ao CDS renovar a sua liderança, reposicionar a sua estratégia, recomeçar a sua luta, refletir num novo projeto e numa nova agenda".

Paulo Portas foi eleito líder pela primeira vez em 1998, tendo estado fora da direção apenas durante dois anos, entre 2005 e 2007, na presidência de José Ribeiro e Castro.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.

Premium

Diário de Notícias

A ditadura em Espanha

A manchete deste dia 19 de setembro de 1923 fazia-se de notícias do país vizinho: a ditadura em Espanha. "Primo de Rivera propõe-se governar três meses", noticiava o DN, acrescentando que, "findo esse prazo, verá se a opinião pública o anima a organizar ministério constitucional". Explicava este jornal então que "o partido conservador condena o movimento e protesta contra as acusações que lhe são feitas pelo ditador".