Concelhia do Porto do CDS-PP formaliza apoio a Rui Moreira

A decisão foi aprovada por unanimidade

A concelhia do Porto do CDS-PP declarou hoje o apoio à recandidatura do atual presidente da Câmara Municipal, Rui Moreira, às eleições do próximo ano, fazendo uma "análise globalmente positiva" do mandato.

O apoio a Rui Moreira pela concelhia do CDS-PP foi aprovado por unanimidade na noite de terça-feira, referiu aquela estrutura em comunicado, que "formaliza desta forma o apoio anteriormente divulgado pela presidente do partido, Assunção Cristas, no congresso de 2016".

"A Comissão Politica Concelhia considera que se trata de um apoio natural, uma vez que, desde a primeira hora, faz parte integrante do movimento independente 'Porto, O Nosso Partido'", acrescentou a concelhia liderada por César Vasconcellos Navio, realçando que "a maior parte das medidas propostas no programa com que se apresentou, em 2013, ao eleitorado estão lançadas ou já concretizadas no terreno".

Em relação às eleições autárquicas do próximo ano, o presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, não excluiu, na semana passada, coligações com o CDS-PP para as câmaras de Lisboa e do Porto.

"Se por ventura não for possível virmos a ter uma coligação com o CDS em Lisboa e no Porto, isso não quer dizer que não sejamos, na mesma, parceiros naturais", acrescentou o líder social-democrata.

Também na semana passada, questionada sobre o Porto, Assunção Cristas sublinhou que desde o congresso do CDS-PP, em março, que o partido assumiu uma "posição extremamente clara" de reiterar o apoio ao atual presidente da Câmara Rui Moreira.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

"Gilets jaunes": se querem a globalização, alguma coisa tem de ser feita

Há muito que existe um problema no mundo ocidental que precisa de uma solução. A globalização e o desenvolvimento dos mercados internacionais trazem benefícios, mas esses benefícios tendem a ser distribuídos de forma desigual. Trata-se de um problema bem identificado, com soluções conhecidas, faltando apenas a vontade política para o enfrentar. Essa vontade está em franco desenvolvimento e esperemos que os recentes acontecimentos em França sejam mais uma contribuição importante.