Comemorações do 10 de Junho deste ano serão no Porto e no Brasil

Porto será a "sede das comemorações" e as comunidades portuguesas no Rio de Janeiro e São Paulo vão receber Marcelo Rebelo de Sousa e o primeiro-ministro

As comemorações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas celebram-se este ano no Porto e no Brasil, nas cidades do Rio de Janeiro e de São Paulo, informa hoje o Diário da República.

De acordo com o despacho publicado em Diário da República, é designado "o Porto como sede das comemorações, em 2017, do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, estendendo-se as celebrações às comunidades portuguesas no Rio de Janeiro e em São Paulo".

Fonte da Presidência da República adiantou à agência Lusa que em 09 e 10 de junho as comemorações decorrem no Porto, devendo Marcelo Rebelo de Sousa viajar ainda no dia 10 para o Brasil, regressando a Lisboa no dia 12 de junho.

O primeiro-ministro, António Costa, também estará presente nas comemorações no Porto e no Brasil.

O mesmo despacho publicado em Diário da República estabelece que a organização das comemorações é presidida pelo professor e investigador Manuel Sobrinho Simões.

Integra também "o Chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas, General Artur Neves Pina Monteiro, o Chefe do Protocolo do Estado, Embaixador António Almeida Lima, e o Secretário-Geral da Presidência da República, Dr. Arnaldo Pereira Coutinho".

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, prometeu em 22 de setembro do ano passado, em Newark, nos Estados Unidos da América, que iria estar com o primeiro-ministro fora do país a comemorar o 10 de Junho junto das comunidades portuguesas "ano após ano".

Inicialmente, o chefe de Estado tinha anunciado a intenção de celebrar o Dia de Portugal fora do país de dois em dois anos.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Estou a torcer por Rio apesar do teimoso Rui

Meu Deus, eu, de esquerda, e só me faltava esta: sofrer pelo PSD... É um problema que se agrava. Antigamente confrontava-me com a fria ministra das Finanças, Manuela Ferreira Leite, e agora vejo a clarividente e humana comentadora Manuela Ferreira Leite... Pacheco Pereira, um herói na cruzada anti-Sócrates, a voz mais clarividente sobre a tragédia da troika passista... tornou-se uma bússola! Quanto não desejei que Rangel tivesse ganho a Passos naquele congresso trágico para o país?!... Pudesse eu escolher para líder a seguir a Rio, apostava tudo em Moreira da Silva ou José Eduardo Martins... O PSD tomou conta dos meus pesadelos! Precisarei de ajuda...?