Cinco funcionárias, uma grávida, hospitalizadas com "sintomas de intoxicação"

Um dos casos inspira mais cuidados, precisamente por a funcionária da empresa têxtil de Barcelos estar grávida

Cinco funcionárias de uma empresa têxtil de Barcelos foram esta manhã hospitalizadas com "sintomas de intoxicação", disse à agência Lusa fonte dos Bombeiros Voluntários de Barcelinhos.

Entre as mulheres afetadas há uma que se encontra grávida e é o "caso que inspira mais preocupações", disse a mesma fonte, acrescentando que, às 06:58, foi dado o alerta de que "um grupo de funcionárias", com idades entre os 35 e os 59 anos, da empresa Neivacor, na freguesia de Abade de Neiva, estaria com "náuseas, dores de cabeça e vómitos".

Feita a triagem no local pelos bombeiros, quatro mulheres foram encaminhadas para o Hospital de Barcelos e uma para o Hospital de Braga.

"Uma das senhoras está grávida e por isso é o caso que inspira mais preocupações, daí ter sido encaminhada para Braga", explicou a fonte.

Não são ainda conhecidas "as causas dos sintomas que, ao que tudo indica, serão de uma intoxicação", acrescentou.

A agência Lusa tentou entrar em contacto com a administração da empresa, sem sucesso até ao momento.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.

Premium

Diário de Notícias

A ditadura em Espanha

A manchete deste dia 19 de setembro de 1923 fazia-se de notícias do país vizinho: a ditadura em Espanha. "Primo de Rivera propõe-se governar três meses", noticiava o DN, acrescentando que, "findo esse prazo, verá se a opinião pública o anima a organizar ministério constitucional". Explicava este jornal então que "o partido conservador condena o movimento e protesta contra as acusações que lhe são feitas pelo ditador".