Cidades do Centro e Sul sem recolha de lixo

As cidades do Seixal, Moita, Amadora e Coimbra ficaram hoje sem recolha de lixo devido à greve, que contabilizou uma adesão de 100 por cento

"A greve nacional da Administração Local deixou ao início da noite sem recolha de lixo as principais cidades onde este serviço se realiza normalmente aos domingos, indiciando uma forte adesão na maioria dos serviços camarários, empresas municipais, bombeiros profissionais e outros serviços ligados a este sector", refere o STAL num comunicado.

A organização sindical agendou para a noite de domingo uma greve nacional, destinada a mostrar publicamente o desagrado dos trabalhadores relativamente "às ingerências do governo na autonomia do Poder Local" e a reivindicação de "salários justos".

Relativamente ao primeiro ponto, o STAL acusa o Governo de exercer "chantagem" junto das autarquias para evitar que estas aprovem medidas de valorização dos trabalhadores camarários, além das "tentativas de condicionamento das negociações" em torno da contratação colectiva.

Apesar da generalidade dos serviços de recolha de resíduos sólidos não se realizar nas noites de domingo, por constituir habitualmente a folga dos trabalhadores do sector, o sindicato reivindica uma adesão de "100 por cento ou valores aproximados" no Seixal, Moita, Amadora, Coimbra.

Por outro lado, nos serviços de higiene urbana de Setúbal o valor situa-se nos 63 por cento, enquanto que em Loures é contabilizado cerca de 50 por cento de adesão.

"Já no sector dos transportes, os serviços de manutenção dos Transportes Urbanos de Braga estão totalmente paralisados", sublinha o comunicado.

Ao longo do dia de hoje deverão ainda ser realizados outros protestos, nomeadamente paralisações nos transportes urbanos municipais e escolares, assim como na generalidade dos serviços de higiene urbana.

"Também outros sectores como bombeiros profissionais, associações humanitárias de bombeiros voluntários e empresas municipais serão afetados por esta greve", conclui o comunicado.

A greve organizada pelo STAL deverá prolongar-se durante a noite de hoje e madrugada de terça feira.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.