"Chefe" Assunção Cristas, a nova "Boss AC"

Adolfo Mesquita Nunes citou o rapper, cujo nome artístico coincide com as iniciais de Cristas, para lhe dizer que "tem o mundo a seus pés"


O ex-secretário de Estado do Turismo, já apontado como um dos quatro vice-presidentes de Assunção Cristas, acredita que a nova presidente vai "transformar o CDS na primeira escolha do centro e da direita", uma vez que "hoje os portugueses sabem que voto útil já passou. Como nos ensinou o professor Adriano Moreira, o voto útil só é útil para quem o recebe".
Para alcançar esta meta, entende Mesquita Nunes, Assunção não deve ter problemas em ir buscar votos ao antigo parceiro de coligação. "Vão dizer que vais roubar eleitores ao PSD. Mas desde quando os eleitores têm dono? Desde quando somos donos votos? Nós vamos é ter as melhores propostas e se formos os melhores ganhamos as eleições", afirmou.
Numa referência critica a algumas moções que foram apresentadas nas quais é defendido que o CDS defina os seus valores e sua ideologia, Adolfo Mesquita Nunes responde com a sua "experiência" no turismo, que alcançou os melhores valores de sempre quando foi secretário de Estado. "Desde quando é que o pragmatismo precisa de ideologia? Quando reduzi ou eliminei todas as taxas, não andei a falar de liberalismo, simplesmente estava a facilitar a vida às empresas. Não andei a dizer se as medidas eram de esquerda ou direita. As pessoas querem é soluções para os seus problemas", assinalou. Olhando Assunção diretamente, aconselhou: "quando alguém te vier falar no risco da perda de identidade do partido, se temos um partido mais interior ou urbano, mais para dentro ou para fora, não percas tempo. Todos os minutos perdidos com essa conversa são minutos perdidos".
A terminar, lembrando outras citações que já tinham sido referidas nas intervenções anteriores, escolheu o rapper Boss AC - o que tem a mesmas iniciais que a "Chefe" Assunção Cristas, para lhe dedicar um verso da canção "Tu és mais forte": "acredito em ti porque és mais forte e tens o mundo a teus pés. És mais forte e sei que vais vencer".

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

"Likai-vos" uns aos outros

Quem nunca assistiu, num restaurante, por exemplo, a esta cena de estátuas: o pai a dedar num smartphone, a mãe a dedar noutro smartphone e cada um dos filhos pequenos a fazer o mesmo, eventualmente até a mandar mensagens uns aos outros? É nisto que estamos... Por isso, fiquei muito contente quando, há dias, num jantar em casa de um casal amigo, reparei que, à mesa, está proibido o dedar, porque aí não há telemóvel; às refeições, os miúdos adolescentes falam e contam histórias e estórias, e desabafam, e os pais riem-se com eles, e vão dizendo o que pode ser sumamente útil para a vida de todos... Se há visitas de outros miúdos, são avisados... de que ali os telemóveis ficam à distância...