CDS acusa Medina de ser "desleal" no concurso de publicidade nas ruas de Lisboa

Centristas querem explicações do presidente da Câmara de Lisboa sobre pressa na adjudicação de publicidade à JC Decaux.

Em comunicado, o CDS diz que "foi com espanto que soube pela comunicação social que será agendada para uma reunião de câmara extraordinária, no dia 14 de junho, a proposta relativa ao concurso exterior de Lisboa". E argumenta que é preciso mais tempo para analisar "uma matéria que tem elevada complexidade jurídica e técnica". Revela, ainda que o pedido para que esta matéria fosse tratada em reunião de ordinária da autarquia foi rejeitado. "Não tendo sido invocada qualquer razão de urgência", refere o documento.

"Entendemos que é desleal esta forma de relacionamento institucional entre as forças políticas representadas na CML, tanto mais que, importa lembrar, quem se atrasou (2 anos) no lançamento deste concurso foi o Partido Socialista", dizem os centristas. Argumentam que há ainda "incertezas jurídicas e técnicas sobre este procedimento" de adjudicação.

O concurso, que deveria estar concluído há mais de dois anos, tem estado envolto em polémica.

Ler mais

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.

Premium

Diário de Notícias

A ditadura em Espanha

A manchete deste dia 19 de setembro de 1923 fazia-se de notícias do país vizinho: a ditadura em Espanha. "Primo de Rivera propõe-se governar três meses", noticiava o DN, acrescentando que, "findo esse prazo, verá se a opinião pública o anima a organizar ministério constitucional". Explicava este jornal então que "o partido conservador condena o movimento e protesta contra as acusações que lhe são feitas pelo ditador".