Cavaco Silva "vai respeitar dever de sigilo"

Ex-presidente terá quebrado o consenso no Conselho de Estado sobre a aplicações de sanções a Portugal

Na reunião de segunda-feira do Conselho de Estado, Cavaco Silva terá sido o único a quebrar o consenso no órgão consultivo do Presidente da República de condenação de eventuais sanções. No entanto, o ex-presidente afirmou ao Expresso que "até ser alterado o regimento do Conselho de Estado, vai respeitar o dever de sigilo a que se obrigou no dia da tomada de posse". Ou seja não irá comentar a notícia do jornal Público.

O regimento em causa refere que as reuniões do Conselho de Estado não são públicas e os conselheiros têm de manter o sigilo sobre o que é discutido.

Segundo o Público, Cavaco Silva apresentou na reunião uma análise à conjuntura internacional de cariz "essencialmente técnico", em que, sem nunca se referir às sanções, acabou por legitimar a punição de Portugal por incumprimento do défice. O antigo presidente terá salientado que a envolvente externa é igual para todos e não justifica o fraco desempenho da economia portuguesa, no que foi interpretado como sendo uma crítica ao Governo de António Costa.

Exclusivos