Catorze pessoas assistidas em incêndio numa loja em Portimão

Um incêndio numa loja de material elétrico num centro comercial em Portimão, esta madrugada, obrigou a que 14 pessoas tenham sido assistidas, a maioria por inalação de fumo, segundo a proteção civil.

O alerta para o incêndio foi dado à 01:59, adiantou fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Faro.

Uma pessoa sofreu ferimentos ligeiros e foi transportada ao hospital e 13 outras foram assistidas no local por inalação de fumos.

"As pessoas foram retiradas apenas por precaução porque havia muito fumo no local. O fogo foi rapidamente extinto", disse.

"O incêndio começou numa loja de material elétrico de um centro comercial em Portimão e não se propagou a outros espaços, mas como havia muito fumo houve necessidade de evacuar o edifício de 12 andares que fica por cima das lojas, que estão situadas na cave", explicou.

Segundo o CDOS, os trabalhos estão em fase de conclusão, mas às 06:20 ainda estavam no local 68 operacionais, com o auxílio de 24 veículos, para fazer a ventilação dos espaços.

Ler mais

Exclusivos

Ricardo Paes Mamede

DN+ Queremos mesmo pagar às pessoas para se reproduzirem?

De acordo com os dados do Banco Mundial, Portugal apresentava em 2016 a sexta taxa de fertilidade mais baixa do mundo. As previsões do INE apontam para que a população do país se reduza em mais de 2,5 milhões de habitantes até 2080, caso as tendências recentes se mantenham. Segundo os dados da OCDE, entre os países com economias mais avançadas Portugal é dos que gastam menos com políticas de apoio à família. Face a estes dados, a conclusão parece óbvia: é preciso que o Estado dê mais incentivos financeiros aos portugueses em idade reprodutiva para que tenham mais filhos.