Caso Galp: ex-secretários de Estados vão ser interrogados no DIAP esta semana

Os três antigos governantes serão interrogados como arguidos na 9.ª secção do Departamento de Investigação e Acção Penal de Lisboa

Os três secretários de Estado que se demitiram na sequência do chamado "caso das viagens da Galp" vão ser interrogados como arguidos pelo Ministério Público esta semana. Segundo informações recolhidas pelo DN, Fernando Rocha Andrade (ex-secretário de Estado dos Assuntos Fiscais), Jorge Oliveira (Internacionalização) e João Vasconcelos (Indústria) será ouvidos em dias separados.

Os três são suspeitos do crime de recebimento indevido de vantagem , tal como confirmou a Procuradoria-geral da República em comunicado. No documento, refira-se, a PGR adiantou que este processo investiga "o pagamento pela Galp Energia S.A. de viagens, refeições e bilhetes para diversos jogos da seleção nacional no Campeonato Europeu de Futebol de 2016".

Além de receberem o pacote de viagem, que teria um custo de três mil euros por pessoa, segundo já adiantou a revista "Sábado" os três antigos governantes são ainda suspeitos de terem pedido convites elementos de gabinetes governamentais.Segundo aquela publicação, os três terão feito pedidos à Galp em nome de Vítor Escária (assessor económico de António Costa), João Bezerra da Silva (chefe de gabinete de Rocha Andrade) e Pedro Almeida Matias (ex-chefe de gabinete de Vasconcelos), já constituídos como arguidos no processo.

O crime de "recebimento indevido de vantagem" além do recebimento em si também pune o titular de cargo político que "solicitar" uma vantagem para si ou um terceiro que não lhes seja devida.

Este processo corre na 9ª secção do Departamento de Investigação e Acção Penal de Lisboa e foi investigado pela Unidade Contra a Corrupção da Polícia Judiciária.

Ler mais

Exclusivos