Carlos Cruz: liberdade condicional recusada

O ex-apresentador de televisão Carlos Cruz está a cumprir pena de seis anos por abusos sexuais no âmbito do processo Casa Pia. Viu agora recusada pela segunda vez a liberdade condicional

O Tribunal de Execução de Penas (TEP) considerou que o ex-apresentador de televisão não demonstra ainda arrependimento e continua sem assumir a culpa pelos crimes de abuso sexual de menores por que foi condenado no processo Casa Pia. Carlos Cruz está preso desde 2013 e foi condenado a uma pena de seis anos. Há um ano, o ex-apresentador tinha feito um pedido de liberdade condicional semelhante mas também foi recusado por razões idênticas.

O segundo pedido de liberdade condicional feito por Carlos Cruz foi apresentado no mês passado. A fundamentação passa pelo cumprimento de pelo menos metade da pena por parte do arguido. O arguido já tinha alcançado essa meta no princípio do ano passado, quando efetuou o primeiro pedido ao TEP.

Carlos Cruz tem pelo menos garantida uma nova saída precária da cadeia da Carregueira já que faz anos a 24 de março. A saída está prevista para a véspera e durará quatro dias.

O advogado de Carlos Cruz, Ricardo Sá Fernandes, vai recorrer da decisão do TEP para o Tribunal da Relação de Lisboa.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

"Likai-vos" uns aos outros

Quem nunca assistiu, num restaurante, por exemplo, a esta cena de estátuas: o pai a dedar num smartphone, a mãe a dedar noutro smartphone e cada um dos filhos pequenos a fazer o mesmo, eventualmente até a mandar mensagens uns aos outros? É nisto que estamos... Por isso, fiquei muito contente quando, há dias, num jantar em casa de um casal amigo, reparei que, à mesa, está proibido o dedar, porque aí não há telemóvel; às refeições, os miúdos adolescentes falam e contam histórias e estórias, e desabafam, e os pais riem-se com eles, e vão dizendo o que pode ser sumamente útil para a vida de todos... Se há visitas de outros miúdos, são avisados... de que ali os telemóveis ficam à distância...