Carlos Barbosa bate com a porta ao PSD e vai suspender mandato

Número dois da lista do PSD à Assembleia Municipal de Lisboa não se sente confortável com "os golpes e contragolpes" no partido

Carlos Barbosa rompe com o PSD de Lisboa, depois de ter surgido uma lista alternativa à liderança da bancada social-democrata naquele órgão, encabeçada pelo presidente da junta de freguesia de Belém, Luís Newton, contra a que deveria ter sido liderada por José Eduardo Martins.

Numa carta enviada aos companheiros de lista, a que o DN teve acesso, Carlos Barbosa relembra que esteve numa reunião no dia 17 de outubro com os eleitos à Assembleia Municipal - à exceção de Luís Newron, Vasco Morgado e Mafalda Cambeta - em que foi escolhido por unanimidade que o líder da bancada seria José Eduardo Martins, secundado por António Proa e Maria Virgínia.

Carlos Barbosa diz ter ficado "espantado" com o facto de outra lista, liderada por Luís Newton, ter aparecido e ter ganho a presidência da bancada social-democrata na Assembleia Municipal.

Apesar de considerar que Luís Newton foi um bom presidente de junta de freguesia, afirma que será "um mau líder pois não tem capacidade de fazer as duas coisas bem". Fazendo apelo à falta do presidente da junta de freguesia na reunião de dia 17, Barbosa questiona: "Já tinha o golpe preparado e não o queria com lealdade desvendar aos outros? Ninguém levaria a mal que tivesse nessa reunião explicado as suas pretensões, que por vontade própria, quer por ordens da distrital".

O presidente do ACP relembra que foi convidado por José Eduardo Martins e Mauro Xavier (que também se demitiu da liderança da concelhia de Lisboa do PSD) para dar o contributo para a área da mobilidade. Mas como nenhum deles "estará presente" na oposição a Fernando Medina, não ficará num lugar onde se sente "desconfortável" e onde está "tudo de avessas, uns contra os outros e a cada dia há uma nova teoria e posição".

Ler mais