Candidatos do Porto vivem quase todos na zona ocidental

Ramalde é a freguesia do Porto onde mais pretendentes à câmara residem. Manuel Pizarro, Álvaro Santos Almeida e João Teixeira Lopes vivem nesta zona ocidental da cidade, a preferida dos cabeça-de-lista, que escolheram zonas habitacionais e tranquilas. Só um dos nove candidatos habita na Baixa. E há três que não residem no Porto

É na zona ocidental do Porto que a maioria dos candidatos à câmara municipal reside. A freguesia de Ramalde concentra três dos cabeças-de-lista das eleições autárquicas - Manuel Pizarro, Álvaro Santos Almeida e João Teixeira Lopes -, embora em diferentes locais de uma freguesia onde uma grande parte da população tem profissões no setor dos serviços. A mesma tendência que se verifica em Aldoar, Foz do Douro e Nevogilde, autarquia que abrange a parte final da Avenida da Boavista, onde vive o candidato e atual presidente da autarquia, Rui Moreira. Só um dos candidatos, Costa Pereira, reside na Baixa do Porto, na União de Freguesias do Centro Histórico do Porto.

João Teixeira Lopes, candidato do Bloco de Esquerda à presidência da Câmara do Porto, reside em Ramalde. É na Rua do Lugarinho, junto ao entroncamento com a Rua de Francos, que o sociólogo tem casa. Natural de Angola, Teixeira Lopes é portuense desde que a família regressou a Portugal e hoje vive numa zona da cidade que define como "um bairro de proximidade", essencialmente uma zona habitacional com pequeno comércio espalhado pelas ruas. Na loja de Isabel Paço, onde se vendem legumes e fruta, a área é caracterizada como "calma, tranquila, em que as pessoas passam e falam. É boa para viver". Questionada sobre se conhecia o candidato à Câmara do Porto que reside ali, a comerciante hesita. "Aqui? Ah, aquele senhor, pois. Nem sabia mas já tinha um ar dele. Sim, disseram-me que é candidato mas nem sei bem qual é o partido. É bom vizinho, costuma vir aqui. Cumprimenta toda a gente", diz Isabel, que nem reside no Porto. É de Aguçadoura, concelho de Póvoa de Varzim. "Há muitos anos que trabalho no Porto. Fui empurrada do Mercado do Bom Sucesso, onde tinha banca." Não se queixa do negócio nesta nova casa. "Não vendo pior, mas sabe como é, uma pessoa estava habituada ao ritmo de mercado. Mas já estou aqui há seis anos e vou tendo os clientes, o pessoal que mora aqui nos prédios."

Não é preciso andar muito para se chegar à área de residência de Manuel Pizarro, na mesma freguesia de Ramalde. O candidato do Partido Socialista vive na Rua de Santa Luzia, artéria que cruza a Rua Monte dos Burgos. É na parte mais próxima do bairro de Ramalde que vive o médico que também preside à distrital socialista. Trata-se de uma zona habitacional, numa via de sentido único, ainda com o pavimento em paralelo. São habitações de um lado, com moradias, algumas já antigas, e pequenos blocos de apartamentos; e a Quinta da Prelada do outro, com a Igreja da Nossa Senhora do Porto no início da rua. Pouca gente circula a pé e o movimento de carros também é reduzido. Questionada pelo DN, uma mulher que se dirige para a igreja confirma que é "uma zona de habitações, sem grande comércio, tudo muito calmo". Sabe que o candidato do PS vive ali, como confirma a resposta imediata, "sim, vive, é já ali em cima". Pizarro é um homem de Ramalde. Apesar de ter nascido em Coimbra, o vereador que dirigiu o pelouro da Habitação até à rutura com Rui Moreira chegou com a família ao Porto ainda criança. Na freguesia de Ramalde foi eleito várias vezes, entre 1989 e 2001, para a assembleia de freguesia e, entre 1998 e 2001, foi membro da junta de freguesia.

Um dos seus opositores nesta corrida eleitoral também tem ligações a Ramalde. Álvaro Santos Almeida é natural do Porto e cresceu na freguesia. Hoje reside num dos extremos de Ramalde, na Rua de João de Deus, muito perto da Avenida da Boavista. De resto, do local onde vive o candidato da coligação Porto Autêntico (PSD e PPM) praticamente se vê a famosa avenida portuense. É uma zona com mais agitação do que as anteriores visitadas. Aqui a cidade já mexe de outra forma, com prédios, comércio, serviços. Mas a zona onde reside o professor na Faculdade de Economia da Universidade do Porto é sobretudo habitacional e os vizinhos ainda conseguem saber quem vive perto. Foi num dos cafés ali situados que Amândio Silva ficou a saber que mora ali o candidato do PSD. "Não o conheço, nem sabia até há pouco tempo. Não ligo muito a política. Mas ali o pessoal no café já falou nisso e fiquei saber que vive aqui. Não é uma má zona", disse enquanto se preparava para passear o cão. Vive mesmo na Avenida da Boavista e escolhe aquela zona paralela à movimentada via portuense para passear o seu animal. "Venho aqui três vezes por dia. É melhor do que na avenida. Aqui damos um passeio por estas ruas, é mais tranquilo", conta, enquanto o cão já procura a brincadeira com outro com que se cruza na rua. Diz que "é uma zona boa para viver", mas aponta que "não é para todos, aqui os preços das casas são um pouco altos". Sabe porque vive na avenida há sete anos, depois de muitos anos a residir junto ao Palácio de Cristal. "Fartei-me daquilo, a zona degradou-se e mudei-me para aqui. É melhor. Não falta comércio e é seguro."

Saindo da freguesia de Ramalde, mas seguindo sempre na zona ocidental da cidade e descendo a Avenida da Boavista, encontra-se a zona de residência de Rui Moreira. A família sempre viveu na Foz e o atual presidente e recandidato à liderança da câmara mantém essa zona como a escolhida para viver. É nos metros finais da Avenida da Boavista que tem residência e dali pode ver o mar, à vista tal como a rotunda do Castelo do Queijo. É uma zona que essencialmente concentra vivendas do lado esquerdo de quem desce. Do outro lado, após o parque da cidade, há sobretudo alguns serviços como um colégio, com muitos carros a parar em segunda fila, em especial de manhã e ao final da tarde, na entrada e saída de aulas. Pelo meio da avenida há uma ciclovia, onde também os peões podem exercitar o físico. Delfim Gomes subia a avenida e contou que "dia sim dia não faz aquele percurso". Reside em Ramalde e escolhe aquela zona para correr por ter exatamente "a ciclovia, o que permite alguma segurança". Sabe que o presidente da autarquia reside na zona mas não tem ideia exata do local. "É um sítio aprazível, mais da alta sociedade, não é? Não é qualquer um que tem aqui uma casa. Está perto do mar mas só tem o problema de levar com estas nortadas", disse, referindo-se ao vento forte que se sentia.

Bebiana Cunha é a candidata do PAN e reside na Rua de Serralves, "na zona mesmo nas traseiras da Escola Leonardo Coimbra", faz questão de frisar. É uma área também sobretudo habitacional com uma diversidade populacional interessante. Tem gerações mais velhas e novos moradores. A candidata que nasceu na Sé não é muito conhecida entre os comerciantes. No café não imaginavam que vivia ali nem no supermercado de Manuel Pacheco. "Não sabia. Têm aparecido agora uns políticos por aqui mas não sabia que a candidata mora aqui. Mas ainda bem, isto é uma boa rua, fossem todas no Porto como aqui. É limpa, organizada e todos convivem uns com os outros. Tem recebido novos habitantes, mais novos. Só há um problema que devia realçar: o piso da rua está muito mau, dá cabo dos carros", conta o comerciante, que também tem dado conta de mais turistas. "Não sei se é da proximidade ao museu de Serralves, mas tenho mais clientes que devem estar aqui em alojamentos próximos", explica.

Após cinco candidatos que vivem mais afastados da Baixa, o cabeça-de-lista do Partido Trabalhista Português é o único que vive no centro histórico do Porto, na Rua 31 de Janeiro, outrora uma das mais emblemáticas da cidade a nível de comércio, hoje mais degradada e praticamente sem habitante. "Sou eu e mais quatro ou cinco", diz Costa Pereira ao DN, candidato que diz ter "nascido, crescido e que ainda vive na Baixa do Porto". A rua que liga Santa Catarina a Sá da Bandeira tem hoje vários espaços comerciais abandonados, tal como muitos edifícios. A comerciante Paula Xavier, dona de uma sapataria, não conhece o candidato mas concorda que a rua precisa de uma nova imagem. "Está muito degradada e os turistas até fogem. Há muitos espaços vazios e abandonados. Isto já foi o centro do comércio do Porto, com lojas muito conhecidas", aponta, surpreendida por uma rua numa área tão frequentada por turistas ter chegado a tal degradação.

Estes são seis candidatos que residem no Porto. Ilda Figueiredo, candidata da CDU, vive em Gaia, mas tem bom conhecimento da cidade portuense: foi vereadora da Câmara do Porto em dois mandatos da década de 1990. Orlando Cruz, candidato pelo PPV-CDC, também reside em Vila Nova de Gaia, enquanto a candidata do PNR, Sandra Martins, vive na Maia. "Somos do Porto e vivemos anos no Carvalhido. Quando tivemos um filho, mudámos para a Maia", disse Jorge Carreira, marido da candidata e diretor de campanha, acrescentando que a sua família tem um edifício na zona dos Clérigos, onde por vezes passa alguns dias.

Exclusivos