Campanha lançada hoje tenta travar quebra nas reservas de sangue

Há cada vez menos dadores, por causa da emigração e do envelhecimento. O Instituto do Sangue tem unidades suficientes para duas semanas a nível nacional, mas precisa de mais.

As reservas de sangue encontram-se estáveis em Portugal, mas prevê-se que exista uma quebra nos próximos dois meses, como acontece habitualmente no verão. Para que não falte sangue, o Instituto Português do Sangue e da Transplantação (IPST) programou várias campanhas, além das que já se encontram a decorrer. A ideia é captar novos dadores, visto que o país atravessa uma fase de perda de dádivas devido ao envelhecimento da população e à emigração.

No final da semana existiam unidades de sangue suficientes para sete dias no IPST e para 14 a nível nacional. "Adiámos as brigadas móveis para o julho para tentar ter um mês estável. Julho e agosto costumam ser períodos críticos, porque os dadores estão de férias, em mobilidade", esclarece Hélder Trindade, presidente do IPST.

Neste momento, está a decorrer a campanha "Ajuda-nos dando um pouco de ti", da 3M-Nexcare, que pretende alertar os jovens para a necessidade de dar sangue, bem como a "Dador 1.ª vez" e "Grupos de sangue específicos".

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN

Ler mais

Exclusivos