Câmara investe 110 mil euros em alunos carenciados

A Câmara Municipal de Vila do Bispo anunciou hoje a atribuição de 35 bolsas de estudo aos alunos dos ensinos profissional e superior do concelho, no valor global de 105 mil euros, no ano letivo corrente.

"O objetivo é apoiar os alunos carenciados e com aproveitamento escolar que, por falta de recursos financeiros, estariam impossibilitados de prosseguir o ensino", disse Adelino Soares, presidente da Câmara de Vila do Bispo.

"Os agregados familiares estão a viver, cada vez mais, com dificuldades económicas, o que constitui um obstáculo ao prosseguimento dos estudos dos jovens", sublinhou o autarca.

Para Adelino Soares esta ajuda anual contribui para um maior e mais equilibrado desenvolvimento social, económico e cultural. "Tem sido feito um esforço para reforçar as ajudas em todos os aspetos sociais, no sentido de minimizar a sobrecarga financeira das famílias do concelho".

As bolsas de estudo são atribuídas alunos residentes no concelho que não dispõem de meios suficientes para suportarem os encargos com a frequência do ensino superior. O valor atribuído a cada estudante durante os meses de frequência escolar situa-se entre os 485 euros e os 4.850 euros, variando consoante o rendimento do agregado familiar.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Brexit

"Não penso que Theresa May seja uma mulher muito confiável"

O diretor do gabinete em Bruxelas do think tank Open Europe afirma ao DN que a União Europeia não deve fechar a porta das negociações com o Reino Unido, mas considera que, para tal, Theresa May precisa de ser "mais clara". Vê a possibilidade de travar o Brexit como algo muito remoto, de "hipóteses muito reduzidas", dependente de muitos fatores difíceis de conjugar.

Premium

Pedro Lains

"Gilets jaunes": se querem a globalização, alguma coisa tem de ser feita

Há muito que existe um problema no mundo ocidental que precisa de uma solução. A globalização e o desenvolvimento dos mercados internacionais trazem benefícios, mas esses benefícios tendem a ser distribuídos de forma desigual. Trata-se de um problema bem identificado, com soluções conhecidas, faltando apenas a vontade política para o enfrentar. Essa vontade está em franco desenvolvimento e esperemos que os recentes acontecimentos em França sejam mais uma contribuição importante.