Berkeley desmente Barreiras Duarte e UAL vai determinar se tem de voltar às aulas

Polémica em torno do currículo do secretário-geral do PSD continua. Além do desmentido da instituição norte-americana, a Universidade Autónoma de Lisboa vai tentar perceber se o alegado cargo foi essencial para a dispensa das aulas

A Universidade da Califórnia, em Berkeley, desmentiu esta terça-feira o comunicado de Feliciano Barreiras Duarte, secretário-geral do PSD, afirmando que o documento apresentado "não prova" que o social-democrata tenha sido professor convidado na instituição.

Ao jornal Sol, a instituição comentou o caso, afirmando que Barreiras Duarte "nunca foi" professor convidado e que o documento apresentado "não prova o contrário". Além disso, a universidade explica que "não emite documentos em nenhuma língua" além do inglês, e que o texto presente no mesmo documento é "atípico" relativamente aos outros convites feitos a investigadores.

"Independentemente de Deolinda Adão ter ou não assinado realmente esse documento, Feliciano Barreiras Duarte nunca foi um investigador aqui e essa carta não pode ser usada para provar o contrário", afirmou ao mesmo jornal o gabinete de relações públicas da universidade californiana, confirmando ainda que Deolinda Adão "não escreveu esse documento, apesar de a assinatura eletrónica aparente ser dela".

Universidade Autónoma de Lisboa vai verificar situação

O estatuto de visiting scholar em Berkeley foi um dos elementos de currículo que Feliciano Barreiras Duarte apresentou para a dispensa das aulas do doutoramento em que está inscrito na Universidade Autónoma de Lisboa (UAL). Agora, a reitoria da UAL irá pedir ao Conselho Científico para verificar a situação e esclarecer se esse elemento foi essencial para a dispensa das aulas.

A notícia foi pelo Observador, que cita Reginaldo Rodrigues de Almeida, administrador da UAL: "Se o Conselho Científico verificar que o estatuto foi fundamental para dispensar a frequência da parte escolar do doutoramento, o aluno será convidado a frequentar as aulas". E, se tal não acontecer, terá "de abandonar o doutoramento", no qual está inscrito desde 2015.

O caso nasceu no sábado, quando o Sol noticiou que o secretário-geral do PSD retificou o seu currículo académico para retirar o item que o indicava como professor convidado em Berkeley. A questão já chegou, entretanto, à Procuradoria-Geral da República, que vai abrir um inquérito.

Reginaldo Rodrigues de Almeida diz ainda que além do doutoramento, Feliciano Barreiras Duarte "apresentou como elemento do currículo o facto de ser visiting scholar em Berkeley" para o mestrado. A informação não foi verificada, mas foi tida como verdadeira, visto que o social-democrata "apresentou um parecer que tinha pedido à Comissão de Ética da Assembleia da República".

Sendo que o mestrado não está em risco, o doutoramento apresenta uma situação diferente, visto que a comissão científica irá ser questionada sobre o alegado estatuto e se este foi "relevante" para Barreiras Duarte ter sido dispensado das aulas. "Se for, terá de voltar a fazer a parte letiva, sob pena de continuar", disse ainda ao Observador o administrador da UAL.

Ler mais

Adolfo Mesquita Nunes

Premium Derrotar Le Pen

Marine Le Pen não cativou mais de dez milhões de franceses, nem alguns milhões mais pela Europa fora, por ter sido estrela de conferências ou por ser visita das elites intelectuais, sociais ou económicas. Pelo contrário, Le Pen seduz milhões de pessoas por ter sido excluída desse mundo: é nesse pressuposto, com essa medalha, que consegue chegar a todos aqueles que, na sequência de uma crise internacional e na vertigem de uma nova economia digital, se sentem excluídos, a ficar para trás, sem oportunidades.

João Taborda da Gama

Premium Temos tempo

Achamos que temos tempo mas tempo é a única coisa que não temos. E o tempo muda a relação que temos com o tempo. Começamos por não querer dormir, passamos a só querer dormir, e por fim a não conseguir dormir ou simplesmente a não dormir, antes de passarmos o resto do tempo a dormir, a dormir com os peixes. A última fase pode conjugar noites claras e tardes escuras, longas sestas de dia com um dormitar de noite. Disse-me um dia o meu barbeiro que os velhotes passam a noite acordados para não morrerem de noite, e se ele disse é porque é.