Bastonária acusa ministra de falta de planeamento

A bastonária dos Advogados, Elina Fraga, faz um balanço da reforma judiciária e acusa a Ministra da Justiça de falta de planeamento na transferência dos processos judiciais.

Em entrevista à Justiça TV, a bastonária da Ordem dos Advogados acusa Paula Teixeira da Cruz de esconder a realidade. "Os processos físicos foram transferidos em carrinhas de caixa aberta sem que houvesse o devido cuidado, de modo a salvaguardar que os processos iam organizados, por forma a que o tribunal que os recebesse iniciasse a sua tramitação", diz a bastonária eleita em novembro do ano passado.

A representante dos 28 mil advogados acusa o Ministério da Justiça de falta de planeamento: "não houve planeamento, os processos foram atirados para dentro de caixotes, e ainda estão muitos deles armazenados nos parques de estacionamento, nas salas de audiências, sem que ninguém saiba exactamente o que está lá dentro. É preciso falar também nesta dimensão", conclui, na mesma entrevista.

O mapa judiciário entrou em vigor a de 1 de setembro. Durante 45 dias, os 3,5 milhões que teriam de ter sido transferidos para o sistema informático, ficaram 'perdidos' e sem rasto electrónico.

A nova organização judiciária fechou 20 tribunais e despromoveu 27 a secções de proximidade. A Ordem dos Advogados organizou, a 15 de Julho deste ano, um protesto junto ao Parlamento contestando esta nova reforma. Na manifestação estiveram presentes mais de três mil advogados.