Banco Alimentar recolhe mais de 1.600 toneladas de alimentos no fim de semana

Registou-se um decréscimo de 243 toneladas face a igual período do ano passado

O Banco Alimentar Contra a Fome recolheu mais de 1.600 toneladas de alimentos durante o fim de semana, na primeira campanha anual realizada em mais de 2.000 lojas no país, foi hoje anunciado.

Em declarações à Lusa, a presidente do Banco Alimentar contra a Fome, Isabel Jonnet, indicou que até às 02:00 foram recolhidas 1.602 toneladas de alimentos, um decréscimo de 243 toneladas face a igual período do ano passado.

"[O decréscimo] é explicado sobretudo pelo fim de semana de ponte, que levou muitas pessoas para longe dos seus locais habituais de residência e alterou assim o seu perfil habitual de consumo", disse.

As minhas palavras são de agradecimento a todos quantos participaram. Nunca nos cansamos de sublinhar, com grande reconhecimento, a generosidade reiterada dos portugueses, tanto os que doam alimentos, como os voluntários que ajudam na organização

Ainda assim, Isabel Jonnet considerou o número de alimentos recolhido excecional.

"As minhas palavras são de agradecimento a todos quantos participaram. Nunca nos cansamos de sublinhar, com grande reconhecimento, a generosidade reiterada dos portugueses, tanto os que doam alimentos, como os voluntários que ajudam na organização", afirmou.

Os alimentos vão ser distribuídos, a partir da próxima semana, por mais de 2.600 instituições de solidariedade social, que vão fazê-los chegar a 400 mil pessoas com carências alimentares comprovadas

A primeira campanha anual do Banco Alimentar contra a Fome decorreu este fim de semana em mais de 2.000 lojas no país, com o apoio de 42 mil voluntários.

Os alimentos vão ser distribuídos, a partir da próxima semana, por mais de 2.600 instituições de solidariedade social, que vão fazê-los chegar a 400 mil pessoas com carências alimentares comprovadas, sob a forma de cabazes ou de refeições confecionadas.

Quem não teve oportunidade de contribuir no fim de semana pode ainda fazê-lo até 10 de junho através da campanha "Ajuda Vale" com vales de produtos disponíveis nas caixas dos supermercados, bem como no portal de doação online www.alimentestaideia.pt.

A nível europeu, existem 256 Bancos Alimentares operacionais em 24 países, norteados por idêntica missão, que, em 2017, distribuíram 756 mil toneladas de produtos a 8,1 milhões de pessoas, através de 44.700 associações

Exclusivos

Premium

história

A América foi fundada também por angolanos

Faz hoje, 25 de agosto, exatos 400 anos que desembarcaram na América os primeiros negros. Eram angolanos os primeiros 20 africanos a chegar à América - a Jamestown, colónia inglesa acabada se ser fundada no que viria a ser o estado da Virgínia. O jornal The New York Times tem vindo a publicar uma série de peças jornalísticas, inseridas no Project 1619, dedicadas ao legado da escravatura nos Estados Unidos. Os 20 angolanos de Jamestown vinham num navio negreiro espanhol, a caminho das minas de prata do México; o barco foi apresado por piratas ingleses e levados para a nova Jamestown. O destino dos angolanos acabou por ser igual ao de muitos colonos ingleses: primeiro obrigados a trabalhar como contratados e, ao fim de alguns anos, livres e, por vezes, donos de plantações. Passados sete anos, em 1626, chegaram os primeiros 11 negros a Nova Iorque (então, Nova Amesterdão) - também eram angolanos. O Jornal de Angola publicou ontem um longo dossiê sobre estes acontecimentos que, a partir de uma das maiores tragédias da História moderna, a escravatura, acabaram por juntar o destino de dois países, Angola e Estados Unidos, de dois continentes distantes.