Azeredo Lopes faz nova mudança no seu gabinete

Ministro da Defesa vai escolher um novo secretário-geral, lançando um concurso via Comissão de Recrutamento e Seleção para a Administração Pública (CRESAP)

O ministro Azeredo Lopes decidiu não reconduzir o secretário-geral do Ministério da Defesa, Gustavo Madeira, soube esta quarta-feira o DN.

O Ministério confirmou, remetendo quaisquer comentários sobre a decisão para um comunicado a emitir em breve.

Gustavo Madeira, nomeado ainda pelo anterior ministro José Pedro Aguiar-Branco, entregou há dias o relatório com o balanço das atividades sob sua responsabilidade, tendo fontes ouvidas pelo DN admitido que a decisão de não recondução decorrerá da insatisfação do ministro Azeredo Lopes com o teor do documento.

O mandato do ainda secretário-geral termina no final do primeiro trimestre e Azeredo Lopes terá de abrir um concurso, via Comissão de Recrutamento e Seleção para a Administração Pública (CRESAP), para escolher o sucessor.

Esta é a mais recente das alterações no gabinete do ministro da Defesa. Entre as mudanças, destaque para a substituição do major-general que era chefe de gabinete (promovido e colocado no Estado-Maior general das Forças Armadas) por uma civil que era assessora financeira, função para a qual foi nomeado um quadro do Tribunal de Contas ou, ainda, um novo assessor de imprensa (o anterior transitou para a Entidade reguladora da Comunicação Social).

Azeredo Lopes está há quase dois anos sob fogo da oposição - como dentro do próprio PS - e entre as fileiras, devido à forma como conduziu politicamente determinados dossiers. O primeiro grande caso, ligado ao Colégio Militar, levou o então chefe do Estado-Maior do Exército a demitir-se. Seguiram-se outros, como o da morte de recrutas no curso de Comandos ou, mais recentemente, o furto de material de guerra nos paióis de Tancos.

Note-se que à Secretaria-Geral do Ministério da Defesa cabe assegurar o apoio técnico e administrativo aos gabinetes do ministro e do secretário de Estado, seja ao nível do provisionamento centralizado e do apoio técnico jurídico e contencioso.

Ao nível das Forças Armadas, tal ocorre nos domínios da gestão de recursos internos, da documentação e da comunicação e relações públicas, assegurando ainda o planeamento financeiro dos recursos essenciais ao Ministério.

Outra área de competências a cargo de Gustavo Madeira passa por "implementar uma política integradora para toda a área dos sistemas de informação (SI) e tecnologias de informação e comunicação (TIC) no universo da defesa nacional" - precisamente uma das áreas que vai sofrer alterações profundas na sequência do furto de material de guerra em Tancos.

Ler mais

Exclusivos

Premium

DN Life

DN Life. «Não se trata o cancro ou as bactérias só com a mente. Eles estão a borrifar-se para o placebo»

O efeito placebo continua a gerar discussão entre a comunidade científica e médica. Um novo estudo sugere que há traços de personalidade mais suscetíveis de reagir com sucesso ao referido efeito. O reumatologista José António Pereira da Silva discorda da necessidade de definir personalidades favoráveis ao placebo e vai mais longe ao afirmar que "não há qualquer hipótese ética de usar o efeito placebo abertamente".