Mais de 20 queixas por causa de inaugurações em dia de reflexão

A Comissão Nacional de Eleições já tinha alertado que este tipo de iniciativas pode constituir propaganda

A Comissão Nacional de Eleições recebeu inúmeras queixas relacionadas com a realização de inaugurações hoje, dia de reflexão, antes das eleições autárquicas de amanhã. "Temos tido muitas queixas nesse sentido. Houve um elevado número de queixas. Duas dezenas pelos menos houve", confirmou à TSF o porta-voz do organismo, que já ontem alertara que este tipo de iniciativas poderia configurar propaganda.

"Temos tido um elevadíssimo número de denúncias e queixas relacionadas com a promoção de inaugurações, inaugurações de vários tipos, que são marcadas para este dia, que é um dia de reflexão, onde está prevista a presença de titulares de órgãos autárquicos, candidatos aos mesmos", disse João Tiago Machado.

O porta-voz da CNE explicou à rádio que as queixas vieram de todo o país e que o organismo não teve tempo de reagir oportunamente em muitas das situações, pedindo à comunicação social que não divulgue esses eventos.

"A nossa recomendação é que essas ações não se deveriam realizar hoje. Houve muito tempo para o fazer, temos segunda-feira para o voltar a fazer, não há nenhum motivo de urgência e, portanto, esse género de eventos não deveria simplesmente ocorrer", defendeu.

No sábado à noite, a CNEalertou que hoje, dia de reflexão para as autárquicas, não deveriam decorrer inaugurações com a presença de titulares de órgãos autárquicos ou candidatos.

"A Comissão Nacional de Eleições entende que tais eventos não devem ocorrer por serem suscetíveis de prefigurar um ato de propaganda expressamente proibido num fim de semana eleitoral", referiu a entidade em comunicado.

Ler mais

Exclusivos