Cartaz de candidato impede abertura de urnas na Maia

As urnas instaladas numa escola na urbanização de Lidador, na Maia, não abriram por estar ainda colocado junto à entrada um cartaz de um candidato, disseram hoje agência Lusa fontes no local.

João Lopes, delegado da mesa de voto, contactou a Lusa para informar que foram chamados os bombeiros para retirar o cartaz.

A Lusa contactou os bombeiros da Maia, tendo recebido a informação de que o caso foi transmitido à GNR, por não se tratar de uma competência dos bombeiros.

A GNR da Maia, por sua, vez disse também à Lusa que não era sua atribuição, mas da Comissão Nacional de Eleições (CNE) a retirada dos cartazes.

Pelas 08:30, as urnas ainda não estavam abertas, devido a esta situação, segundo a mesma fonte, que tinha contactado com o presidente da Junta de Freguesia de Vila Nova da Telha.

Segundo o porta-voz da CNE, João Tiago Machado, contactado pela Lusa, nas eleições autárquicas qualquer presidente de mesa tem competência para requerer serviços para retirar cartazes, seja dos bombeiros ou da GNR.

As urnas para as eleições autárquicas abriram hoje às 08:00 no continente e na Madeira para a escolha dos dirigentes dos municípios e das freguesias para os próximos quatro anos. Nos Açores, abrem e fecham uma hora depois, devido à diferença horária.

Exclusivos

Premium

Crónica de Televisão

Os índices dos níveis da cadência da normalidade

À medida que o primeiro dia da crise energética se aproximava, várias dúvidas assaltavam o espírito de todos os portugueses. Os canais de notícias continuariam a ter meios para fazer directos em estações de serviço semidesertas? Os circuitos de distribuição de vox pop seriam afectados? A língua portuguesa resistiria ao ataque concertado de dezenas de repórteres exaustos - a misturar metáforas, mutilar lugares-comuns ou a começar cada frase com a palavra "efectivamente"?