Autarquia transforma escolas em lares para famílias carenciadas

A Câmara de Baião vai transformar seis antigas escolas primárias em 17 moradias destinadas a alojar famílias carenciadas, revela um comunicado da autarquia.

Segundo o documento, que cita o presidente José Luís Carneiro, "a opção pela reabilitação vai garantir melhores condições de vida a populações com menos recursos económicos e dar novo uso a um património municipal que se encontra desativado".

As casas vão ser disponibilizadas às famílias, em regime de arrendamento, a preços controlados, em função dos respetivos rendimentos. As intervenções serão realizadas exclusivamente com recursos financeiros do município.

A primeira ação no âmbito deste programa vai avançar na antiga escola da freguesia de Loivos do Monte, para a qual se anuncia a construção de duas moradias T1 e uma T2.

A localidade irá disponibilizar, também, de um espaço destinado ao convívio e ao encontro da comunidade local. Para o presidente da câmara, "estes espaços fazem parte da vida das comunidades locais e, por isso, pretende-se que se adequem em termos estéticos e urbanísticos ao meio envolvente".

José Luís Carneiro recorda, por outro lado, que o projeto tem "a preocupação de envolver os habitantes de cada freguesia em torno das novas estruturas".

"Pretendemos que os centros de convívio sirvam de elo de ligação e de ponto de encontro para a população local e que possam constituir respostas sociais, por exemplo, para o acompanhamento da população mais idosa",salienta.

Este projeto de adaptação de antigas escolas primárias insere-se numa estratégia mais ampla do município, no sentido de dar uma nova finalidade aos edifícios desativados.

Algumas antigas escolas primárias foram cedidas a associações culturais, recreativas ou desportivas do concelho. Outras foram adaptadas para a promoção do turismo e o contacto com a natureza, nomeadamente junto às zonas ribeirinhas ou de montanha.

Ler mais

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.