Aulas começam entre os dias 9 e 15 de setembro

Despacho foi publicado na noite passada

As aulas para o ensino básico e secundário vão começar entre os dias 9 e 15 de setembro, segundo o despacho de Calendário Escolar, que foi publicado na noite de sexta-feira. As férias do Natal serão entre 19 de dezembro e 2 de janeiro e as da Páscoa entre 5 e 18 de abril.

As aulas terminam durante o mês de junho: primeiro para os alunos do 9.º, 11.º e 12.º anos (no dia 6), depois para o 5.º, 6.º, 7.º, 8.º e 10.º anos (a 16 de junho) e, finalmente, a 23 de junho para todos os estudantes do ensino básico.

No próximo ano letivo, os alunos do 2.º ano vão fazer provas de aferição a Expressões Artísticas e Físico-Motoras, os do 5.º testam os conhecimentos a História e Geografia e os do 8.º a Físico-Química, diz ainda este despacho.

Segundo aquele diploma, no próximo ano letivo, os estudantes do 2.º ano vão fazer provas a Expressões Artísticas e Físico-Motoras, Português, Matemática e Estudo do Meio.

Já os estudantes do 5.º ano terão de realizar testes a História, Geografia de Portugal, Matemática e Ciências Naturais e os do 8.º a Ciências Naturais, Físico-Química e Português.

Obrigatórias para todos os alunos, as provas de aferição vão realizar-se durante o mês de junho, com exceção das de Expressões Artísticas e Físico-Motoras que serão no início de maio.

As provas de aferição não contam para a nota dos alunos, ao contrário do que acontecia com os exames nacionais do 4.º e 6.º ano, que deixaram de se realizar este ano.

O Calendário Escolar define também as datas dos exames finais nacionais e das provas finais do 3.º ciclo, assim como das provas de equivalência à frequência dos ensinos básico e secundário.

Nos últimos dias, diretores de escolas e pais criticaram o "timing" de divulgação deste documento, que consideram que deveria ser conhecido mais cedo e ter uma duração de pelo menos três anos.

Pais de professores criticam o facto de saber apenas no final das aulas a data em que começa o ano letivo seguinte, o que dificulta a organização da vida das famílias e o trabalho de preparação do ano nas escolas.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.