Associação da Segurança Privada está a analisar bares e discotecas

A validade dos cartões, número de horas trabalhadas fora daqueles locais e condições de trabalho são algumas das situações que estão a ser analisadas

A recém-criada Associação Socioprofissional da Segurança Privada (ASSP) indicou hoje que está a analisar espaços de diversão noturna onde é prestado serviços de segurança privada para detetar irregularidades.

O vice-presidente da ASSP, Fábio Miranda, adiantou à agência Lusa que vai ser criado dentro da associação um grupo de trabalho para analisar a segurança privada feita em bares e discotecas e estar mais em alerta para situações que levantem suspeitas.

Fábio Miranda afirmou que este trabalho vai estar mais focado nos grandes centros urbanos, especialmente em Lisboa e no Porto.

Segundo a ASSP, a validade dos cartões, número de horas trabalhadas fora daqueles locais e condições de trabalho são algumas das situações que estão a ser analisadas.

Os problemas detetados pela ASSP, associação que está em funções desde 1 de janeiro, vão ser depois remetidos para o Ministério da Administração Interna (MAI)

O vice-presidente da ASSP disse ainda que esta análise tem o objetivo de prevenir situações de insegurança na noite, como vídeo que mostrava seguranças da discoteca Urban Beach, em Lisboa, a agredir dois jovens.

Na quinta-feira, o MAI referiu que o ministro Eduardo Cabrita pediu à PSP e GNR para fazerem uma avaliação do risco dos espaços de diversão noturna em todo o país.

Ler mais

Exclusivos