ASAE desmantela três locais de abate clandestino

Locais encerrados ficam em Armamar, Elvas e arredores de Fátima

A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) anunciou hoje que desmantelou três locais de abate ilegal de animais para consumo público, sem a competente inspeção sanitária, em Armamar, Elvas e nos arredores de Fátima.

Em comunicado, a ASAE refere que foram apreendidos 10 cabritos, 16 leitões, uma balança, diverso material de corte e ainda um carimbo com marca de inspeção sanitária, nestas localidades dos distritos de Viseu, Portalegre e Santarém.

A apreensão do carimbo, segundo a ASAE, foi o "culminar de uma investigação relativa à utilização do referido carimbo por diversos assadores para marcação de leitões provenientes de abate clandestino, facilitando a sua entrada ilegal no circuito comercial".

Foram detidas duas pessoas e instaurados três processos-crime, por abate clandestino e falsificação de cunhos ou selos, tendo em consideração o abate de animais fora das instalações licenciadas para o efeito, "suscetíveis de afetar a saúde dos seus consumidores", adianta o comunicado.

A ASAE indicou ainda que este é o resultado de diversas ações de fiscalização, que efetuou esta semana, no âmbito do combate ao abate clandestino, "atendendo aos riscos associados ao consumo de carne proveniente de estabelecimentos não licenciados para o efeito".

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

Compreender Marques Mendes

Em Portugal, há recorrentemente espaço televisivo para políticos no activo comentarem notícias generalistas, uma especificidade no mundo desenvolvido. Trata-se de uma original mistura entre comentário político e espaço noticioso. Foquemos o caso mais saliente dos dias que correm para tentar perceber a razão dessa peculiaridade nacional. A conclusão é que ela não decorre da ignorância das audiências, da falta de especialistas sobre os temas comentados, ou da inexistência de jornalistas capazes. A principal razão é que este tipo de comentário serve acima de tudo uma forma de fazer política.