Apreendidas roupas contrafeitas no valor de 5000 euros em Alcobaça

432 artigos foram apreendidos numa operação que identificou três homens como suspeitos do crime de contrafação

A GNR apreendeu 432 artigos de roupa contrafeita, no valor de cinco mil euros, e identificou três homens suspeitos do crime de contrafação em Alcobaça, no distrito de Leiria, anunciou segunda-feira aquela força de segurança.

Numa ação de fiscalização de policiamento às festas de Coz, os militares apreenderam roupa contrafeita no valor de cinco mil euros, como t-shirts, camisolas, calças e fatos de treino que estavam expostos à venda, disse à agência Lusa fonte da GNR.

A mesma fonte explicou que as peças tinham estampado o nome de diversas marcas, mas pela qualidade da roupa e pela falta de etiquetas a GNR suspeita serem contrafeitas.

Os comerciantes tinham exposta apenas uma parte da mercadoria apreendida e, quando o cliente se interessava pelos artigos, iam à viatura de apoio buscar mais peças para as mostrar.

Na operação, foram identificados e constituídos arguidos três homens, entre os 48 e os 63 anos, um dos quais com antecedentes criminais da mesma natureza.

A GNR apreendeu ainda uma viatura por falta de seguro.

O caso vai continuar a ser investigado pela GNR.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Crespo

E uma moção de censura à oposição?

Nos últimos três anos, o governo gozou de um privilégio raro em democracia: a ausência quase total de oposição. Primeiro foi Pedro Passos Coelho, que demorou a habituar-se à ideia de que já não era primeiro-ministro e decidiu comportar-se como se fosse um líder no exílio. Foram dois anos em que o principal partido da oposição gritou, esperneou e defendeu o indefensável, mesmo quando já tinha ficado sem discurso. E foi nas urnas que o país mostrou ao PSD quão errada estava a sua estratégia. Só aí é que o partido decidiu mudar de líder e de rumo.