App para detetar cancro de pele e digitalização do contrato da luz vencem concurso

Vencedores do Global Impact Challenge vão agora apresentar-se na NASA. Cascais recebe em outubro a SingularityU Portugal Summit Cascais para debater a ciência e inovação

Os vencedores do "SingularityU Portugal Global Impact Challenge" foram conhecidos esta segunda-feira, em Cascais, vila que irá acolher o SingularityU Portugal Summit, nos dias 8 e 9 de outubro.

SkinSoul, um dos vencedores do desafio, é uma aplicação que, através de inteligência artificial, reduz o tempo de diagnóstico de cancro de pele. Mov.e, o outro vencedor, é uma transformação digital do contrato de eletricidade que permite ter acesso ao mesmo a qualquer momento, em qualquer lugar, com segurança e privacidade a um custo competitivo, devido à tecnologia blockchain. Os concorrentes vão ter a oportunidade de potenciar as suas ideias num programa de 10 semanas com a equipa da Singularity University no SU Ventures Incubator Program, situado no NASA Ames Research Center, em Silicon Valley (EUA).

O projeto é uma parceria entre a Beta-i, a Câmara Municipal de Cascais e a Nova School of Business and Economics, ao qual se candidataram 73 projetos diferentes, dos quais foram apurados oito finalistas. O concurso estava especialmente focado nas áreas da organização, educação e ambiente.

O SingularityU Portugal Summit, evento anunciado também esta segunda-feira, vai ter lugar no Grande Auditório do novo Campus da NovaSBE, em Carcavelos. A iniciativa promete "um programa intenso para executivos, empreendedores, decisores financeiros e políticos", refere a Nova em comunicado. A Singularity University está associada a projetos de projetos científicos de cariz tecnológico vanguardista.

Foram para já prometidas as visitas de líderes internacionais de várias áreas e figuras influentes nos campos da ciência, tecnologia e inovação, nos dois dias da cimeira. Juntos vão discutir temas como o rápido avanço das tecnologias, e o seu impacto futuro na indústria, negócios e economia global. Para Rob Nail, CEO da Singularity University, "os participantes podem contar com dois dias intensos para aprenderem a olhar o mundo de forma diferente. As discussões serão centradas em temas específicos que vão ter impacto no país e nas suas organizações nos próximos 10, 20 anos", explica, no comunicado.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os irados e o PAN

A TVI fez uma reportagem sobre um grupo de nome IRA, Intervenção e Resgate Animal. Retirados alguns erros na peça, como, por exemplo, tomar por sério um vídeo claramente satírico, mostra-se que estamos perante uma organização de justiceiros. Basta, aliás, ir à página deste grupo - que tem 136 000 seguidores - no Facebook para ter a confirmação inequívoca de que é um grupo de gente que despreza a lei e as instituições democráticas e que decidiu fazer aquilo que acha que é justiça pelas suas próprias mãos.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Falta (transparência) de financiamento na ciência

No início de 2018 foi apresentado em Portugal um relatório da OCDE sobre Ensino Superior e a Ciência. No diagnóstico feito à situação portuguesa conclui-se que é imperativa a necessidade de reformar e reorganizar a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), de aumentar a sua capacidade de gestão estratégica e de afastar o risco de captura de financiamento por áreas ou grupos. Quase um ano depois, relativamente a estas medidas que se impunham, o governo nada fez.