Apoio a agricultores até 85% a fundo perdido

O ministro da Agricultura garante apoio à replantação das vinhas destruídas pelo mau tempo dos últimos dias

Capoulas Santos anunciou esta terça-feira que o Governo vai apoiar a replantação das vinhas e reconstrução dos muros de suporte destruídos pelo mau tempo, com financiamento a fundo perdido até aos 85%.

Numa visita a Santa Marta de Penaguião, na sequência dos estragos causados pela chuva intensa da última semana, Capoulas Santos dirigiu-se aos vinicultores com palavras de solidariedade mas também com a certeza de que terá instrumentos financeiros para dar resposta aos prejuízos.

O ministro da Agricultura garantiu o financiamento público até 85% do total para apoiar a replantação das vinhas destruídas, socalcos, caminhos e estradas na região do Douro, que assegurou serem "a destruição mais onerosa".

O levantamento dos estragos deve estar concluído dentro de um mês, para que seja possível abrir as candidaturas aos fundos comunitários e às quais vai ser dada "máxima prioridade na aprovação", adiantou.

Todavia, muitos dos estragos provocados pela chuva ocorreram porque "não foram respeitadas as linhas de água" e alguns projetos foram "mal elaborados, mal executados e mal fiscalizados", garantiu o presidente da Câmara de Santa Marta de Penaguião, Luís Machado.

Questionado sobre esta situação, o ministro da Agricultura afirmou ser "necessário corrigir os erros para evitar situações futuras", mesmo reiterando que a causa principal dos prejuízos "foi a anormal pluviosidade em poucas horas".

No entanto, Capoulas Santos assegurou que "deve ser feita uma avaliação rigorosa para que, do ponto de vista da prevenção, todas as obras que venham a ser efetuadas o sejam de forma que se possa garantir a máxima prevenção possível para ocorrências futuras", mas espera que o mais rápido possível se consiga "dar uma resposta para o rápido restabelecimento deste potencial produtivo e garantir às pessoas a continuidade dos seus rendimentos."

No terreno encontram-se agora técnicos a fazer o levantamento de danos, mas o ministro pediu também o auxilio dos municípios e de organizações de agricultores para acelerar o processo.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.