Apoiantes da MAC vão mandar postais a Cavaco

A Plataforma em defesa da Maternidade Alfredo da Costa (MAC) vai recolher assinaturas em postais, um por cada assinatura, e "inundar a presidência da República" com esses cartões.

A decisão saiu de uma reunião que decorreu hoje entre os sindicatos dos enfermeiros, dos médicos da zona sul e dos trabalhadores da função pública, para decidir futuras formas de luta.

De acordo com Pilar Vicente, dirigente do Sindicato dos Médicos da Zona Sul (SMZS), o primeiro passo será começar a recolher assinaturas - de profissionais, de utentes e de todos os que se sentirem envolvidos nesta causa - o trabalho a ser preparado a partir de hoje.

"Vamos inundar a presidência da República com postais. O objetivo é envolver o Presidente da República. Vamos-lhe pedir uma audiência para saber a sua posição sobre o Serviço Nacional de Saúde e especificamente sobre a MAC.

Pilar Vicente disse que ficou ainda aprovada a participação organizada de trabalhadores da MAC, devidamente identificados, nos desfiles de 25 de abril e de 1 de maio, para "chamar a atenção para o problema".

De acordo com Isabel Barbosa, do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP), também presente na reunião, os trabalhadores acordaram pedir audiências a todos os grupos parlamentares.

O objetivo é igualmente conhecer a posição de cada partido relativamente ao anunciado encerramento da MAC e transmitir preocupações relativamente aos postos de trabalho em risco e ao acesso dos utentes aos cuidados de saúde.

Na opinião da dirigente sindical, a intenção de encerrar a MAC faz parte de "uma linha para destruir o Serviço Nacional de Saúde e entregar a grupos privados vários serviços de saúde".

A reunião foi uma iniciativa da Plataforma em Defesa da MAC que reúne estes dois sindicatos, o da função pública, o movimento de utentes do serviço público e a comissão de utentes de saúde da cidade de Lisboa.

Entretanto juntaram-se o Movimento Democrático de Mulheres, a União dos Sindicatos de Lisboa e diversas figuras públicas, disse isabel Barbosa.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Legalização do lobbying

No dia 7 de junho foi aprovada, na Assembleia da República, a legalização do lobbying. Esta regulamentação possibilitará a participação dos cidadãos e das empresas nos processos de formação das decisões públicas, algo fundamental num Estado de direito democrático. Além dos efeitos práticos que terá o controlo desta atividade, a aprovação desta lei traz uma mensagem muito importante para a sociedade: a de que também a classe política está empenhada em aumentar a transparência e em restaurar a confiança dos cidadãos no poder político.